Compartilhe

Jovem foi levado para a Delegacia da Polícia Civil e autuado por crime eleitoral; votação foi tranquila e sem incidentes graves na Comarca

Jornal da Comarca Eleições 2018
Celular foi apreendido

A Justiça Eleitoral da Comarca conclui no domingo os trabalhos do segundo turno das Eleições Gerais de 2018, quando os eleitores inscritos em Palmital, Ibirarema, Campos Novos Paulista e Platina foram às urnas em 80 seções instaladas em escolas públicas dos quatro municípios. A votação foi tranquila e sem incidentes graves, com destaque a um caso de crime eleitoral em que um jovem tentou fotografar o próprio voto e foi encaminhado para a Delegacia da Polícia Civil, onde foi autuado e liberado.

Durante todo o domingo, os trabalhos de recepção de voto ocorreram de forma tranquila, sem filas ou aglomerações de eleitores. As ações da justiça eleitoral foram comandadas pela juíza Mônica Tucunduva Spera Manfio e pelo juiz auxiliar Alexandre Rodrigues Ferreira, além do acompanhamento da promotora Paula Bond Peixoto. Como os pleitos eram apenas para os cargos majoritários, não houve a tradicional “sujeira eleitoral” observada no primeiro turno, em 7 de outubro, quando as ruas ficaram forradas de santinhos produzidos por candidatos a deputado.

Durante o segundo turno, somente uma ocorrência foi registrada numa urna de Platina, que parou de funcionar durante a votação, pois havia sido conectada a uma tomada não energizada. Posteriormente, o equipamento foi ligado à energia e voltou a funcionar.

Após a votação, as urnas foram recebidas no Fórum da Comarca, onde a Junta Eleitoral fez o processamento da documentação no Salão do Júri. Duas urnas, das seções 74 (Palmital) e 6 (Ibirarema) apresentaram defeito de dificuldade de colocação das mídias de resultados, impedindo a gravação de dados nos dispositivos.

Os equipamentos foram religados pela Junta Apuradora no Fórum para que o sistema fosse corrigido para fazer a gravação correta dos dados enviados à totalização. A equipe do Cartório Eleitoral recebeu as mídias de resultados retiradas das urnas e fez a transmissão ao sistema do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), que fazia a totalização dos votos. Os trabalhos foram concluídos por volta das 19 horas.

SELFIE – O crime eleitoral foi registrado na 74ª seção, que funcionou na escola municipal Zezé Leão, na Vila Volga. De acordo com o registro da ocorrência, um auxiliar administrativo e acadêmico de direito, de 24 anos, foi flagrado pela presidente da seção com o celular na mão quando estava na cabine de votação. Ele foi conduzido pela PM até a Delegacia da Polícia Civil, onde confirmou que estava tentando fotografar sua própria votação, mas que não conseguiu concretizar o registro. O caso foi acompanhado pela juíza eleitoral.

O celular foi apreendido e, em análise inicial, investigadores da Polícia Civil constataram que não havia imagem da urna no aparelho. Contudo, o jovem foi autuado pelo crime de violação do sigilo do voto, conforme o artigo 312 do Código Eleitoral. Houve a elaboração de um Termo Circunstanciado em que o eleitor se comprometeu a comparecer ao Fórum da Comarca para responder pela infração à legislação eleitoral e, em seguida, foi liberado.

Compartilhe

Deixe uma resposta