• Post category:Editorial
Compartilhe

“…não houve qualquer iniciativa no sentido de se exigir com ênfase que a Secretaria de Segurança Pública observe essa falha grave…”

 

A cada incêndio verificado em Palmital ou nas cidades da Comarca, como Ibirarema, Platina e Campos Novos Paulista, mais se confirma a necessidade de instalação de uma unidade do Corpo de Bombeiros na cidade. As inúmeras queimadas verificadas na região nos últimos dias, incluindo uma maior e mais perigosa no último domingo, que chegou a atravessar a rodovia Nelson Leopoldino e passou muito próxima de residências, de uma granja e da uma grande indústria que trabalha com produtos químicos, é prova inequívoca de que Palmital está absolutamente desassistida.

Apesar das inúmeras provas de que o atendimento neste setor é deficitário e das muitas abordagens sobre o assunto feitas nesse espaço de opinião, não houve qualquer iniciativa no sentido de se exigir com ênfase que a Secretaria de Segurança Pública observe essa falha grave que começa com a concentração em duas cidades: Assis e Cândido Mota, que ficam a cerca de quatro quilômetros uma da outra. Entretanto, para atender determinadas regiões de Campos Novos Paulista, por exemplo, os bombeiros são obrigados a se deslocar mais de 80 quilômetros, o que pode inviabilizar o combate inicial e, assim, evitar danos maiores.

A ocorrência de domingo, em Palmital, comprovou que a ausência de estratégia elementar, como o posicionamento geográfico correto das unidades de segurança, pode causar danos materiais e humanos irreparáveis devido à demora e à falta de equipamentos adequados. Enquanto o fogo consumia palhadas de lavouras, ameaçava a fiação elétrica de alta tensão e se aproximava de moradias e de unidades empresariais, caminhões pipas da Prefeitura e de usinas da região é que enfrentavam o desafio de debelar o incêndio.

Apenas para reforçar o óbvio, aqui tantas vezes repetido, a principal unidade do Corpo de Bombeiros da região fica em Assis, enquanto a segunda unidade, um pouco menor, está instalada em Cândido Mota, há cerca de quatro quilômetros de distância uma da outra. E, para ilustrar a incoerência absurda e perigosa, basta lembrar que é mais fácil e rápido o Corpo de Bombeiros de Assis atender a uma ocorrência em Cândido Mota do que em muitos bairros mais distantes do próprio município sede.

Compartilhe

Deixe uma resposta