Compartilhe

O objeto estava dentro do órgão genital do homem, que não tinha histórico de doença mental, há 24 horas

Um iraniano de 49 anos teve que passar por um procedimento médico para que uma pilha, tamanho AA, fosse retirada do próprio pênis após ele tê-la introduzido no órgão genital. O caso aconteceu em um hospital de Teerã, capital do Irã.

Quando chegou ao pronto-socorro, o homem informou aos médicos que o objeto estava dentro da sua genitália há pelo menos 24 horas. Ele também relatava “recorrência de sintomas urinários obstrutivos e irritantes, incluindo disúria, diminuição da força urinária” e uma sensação de queimação na hora de urinar.

A situação peculiar foi investigada pelos estudiosos e foi descrita em uma pesquisa que foi publicada neste mês no periódico científico Urology Case Reports, como reportou o jornal estadunidense New York Post.

Foram realizados exames médicos no iraniano, que mostraram cicatrizes “graves e progressivas” em sua uretra. Isso teria debilitado a capacidade do canal de transportar fluidos, gerando a hipótese de que o quadro teria sido causado por produtos químicos expelidos pela pilha.

Além de analisar a situação do homem, os médicos também foram responsáveis por retirar a pilha do órgão genital ao abrir o períneo, que se trata do tecido entre o saco escrotal e o ânus, permitindo um acesso à uretra que não danificasse seus testículos.

Para finalizar o procedimento na uretra, que havia sido prejudicada pela inserção da pilha, foi usado um um enxerto de pele do interior das bochechas e dos lábios do indivíduo, o que permitiu uma cirurgia de sucesso pelos cirurgiões.

Segundo o artigo científico, não se sabe exatamente como a pilha foi introduzida no pênis do homem, que não apresenta histórico de doença mental. Ele ficou em observação por três semanas e recebeu alta, retornando para o hospital seis meses depois, sob a conclusão de que estava recuperado.

FONTE: AH AVENTURAS NA HISTÓRIA

Compartilhe