João de Deus contrai doença grave no hospital
Compartilhe

Depois de muitos anos conquistando o respeito do povo brasileiro e de grandes personalidades do mundo artístico e empresarial, incluindo muitos artistas e pessoas comuns do exterior, com mais de 40 anos de atuação como médium de cura, João Teixeira de Faria, o João de Deus, construiu um império na cidade de Abadiânia, em Goiás, onde instalou suas unidades de atendimento que recebia milhares de pessoas diariamente.

Desde então, a cidade passou a depender muito daqueles que para lá se dirigiam para consultas ou cirurgias espirituais, o que ajudou muito a movimentar o comércio e a rede hoteleira.

No ano passado, numa das edições do programa Conversa com Bial, da Rede Globo, foi levado a público um escândalo evolvendo João de Deus. O médium foi acusado de praticar abuso sexual com diversas mulheres que se revezaram em depoimentos emocionados ao apresentador.

Entre as figuras públicas até então atendidas por João de Deus destacam-se Xuxa, Giovanna Antonelli, Juliana Paes, Grazi Massafera, Camila Pitanga e Luciana Gimenez, entre muitas outras famosas que já se consultaram com o médium.

Na ocasião, algumas celebridades se manifestaram sobre o assunto e detonaram a postura do religioso. João de Deus acabou sendo preso pela Polícia, mas em março a Justiça autorizou sua saída da prisão para internação no Instituto de Neurologia de Goiânia.

Ele trata um quadro de aneurisma abdominal com alegação de sigilo hospitalar. No entanto, a permanência no hospital foi prorrogada pela Justiça devido a um pedido dos médicos que trabalham no caso. Eles alegam que João de Deus teria contraído uma pneumonia.

A doença é considerada grave e responsável pela morte de 15% das crianças até 8 anos, além de responder por grande parcela dos óbitos entre idosos. Trata-se de um mal adquirido por bactérias que se instalam nos pulmões e causam infecção com febre elevada e risco de complicações.

FAMOSOS REPUDIAM MÉDIUM 

Assim que o caso estourou na mídia, a atriz Alessandra Maestrini foi uma das primeiras a se manifestar sobre o assunto. Ela usou sua conta no Instagram para divulgar um vídeo onde mostrou-se decepcionada: “Horrorizada com essa história, até porque eu fui lá em um momento, assim como grande parte das pessoas que vai lá, de fragilidade, buscando esperança, então poderia ter sido comigo”, desabafou.

A autora de novelas, Glória Perez, compartilhou apenas um print de uma reportagem falando sobre o assunto, mas não se pronunciou diretamente. Já Maria Cândida não se conteve e falou o que pensava. “Eu o conheci e provavelmente, porque trabalho na TV, não passei por isso. Horrível pensar no que se passava lá”, disse. Lívia Andrade foi outra que se posicionar: “Existem sim pessoas iluminadas com a luz de Deus, como também existem pessoas sombrias e monstruosas”.

 

 

Compartilhe