Jovem presenteia cachorro de vizinha com brinquedos para ajudá-lo a não se sentir sozinho
Maria Luiza Valcazara, estudante de 19 anos, com Chips, de cinco meses
Compartilhe

Todas as manhãs, Maria Luiza Valcazara, de 20 anos, saía de seu apartamento para ir trabalhar, em Marília, no interior de São Paulo, apreensiva. Bastava fechar a porta para Chips, com apenas 5 meses, começar a chorar e a latir. Mas uma atitude de sua vizinha, Nichole Carvalho, ajudou a reverter a situação. “Ele sentia falta, queria atenção. Era só fechar a porta e ele ficava chorando”, diz a estudante de contabilidade.

 

A paulistana Nichole, estudante de pedagogia, sentiu vontade de ajudar a vizinha de porta de frente, mesmo mal a conhecendo, após acompanhar algumas reclamações de vizinhos no grupo do condomínio em um aplicativo de trocas de mensagens. “Eles comentavam que tinha um cachorro chorando no prédio. E eu comecei a pensar o que podia fazer para tentar ajudar. Eu passei pela mesma situação quando meu cachorro era filhote”, comenta.

 

Nichole foi ao centro da cidade e comprou alguns brinquedos para o cão. Escreveu uma carta endereçada a Chips e colocou tudo em uma sacola. Depois, deixou o pacote na frente da porta de Maria Luiza.

Um dos colegas de apartamento de Maria Luiza viu o pacote ao chegar ao apartamento e entregou para ela, que ficou emocionada. “Eu até chorei. Fiquei em choque. Achei a atitude muito bonita. Tem gente que reclama e não pergunta se o outro precisa de ajuda. Foi surpreendente”, diz.

 

Nichole conta que recebeu muitos elogios da boa ação nas redes sociais. “Muita gente que nem conheço elogiou minha atitude. Eu acho que não adianta a gente criar intriga. Conversar é o melhor caminho”, afirma.

 

APROXIMAÇÃO

Depois da surpresa, Maria Luiza conta que não só ela e a vizinha se aproximaram, como também os cães. “Ela é um amor de pessoa. Eu mandei uma mensagem agradecendo e combinamos de marcar um dia para eles se encontrarem. Eles se deram muito bem. Parecia que já se conheciam há muito tempo”, diz.

 

Outra boa notícia é que, segundo ela, Chips já parece acostumado à rotina e chora bem menos quando a estudante sai para trabalhar. “Vou trabalhar tranquila agora. Ele não larga os brinquedos que ganhou da Nichole. Eles ajudam a distrair muito. E ele também se acostumou com a rotina, percebeu que a gente sai, mas sempre volta”, diz.

Vizinhas promoveram encontro dos cachorros

As vizinhas agora combinam com frequência de se encontrar para que os cachorros possam brincar juntos. “É muito bom para o Chips porque ele ama companhia. Quando solta os dois, eles brincam muito. O Chips volta para casa morto de cansado”, comenta Maria Luiza.

Fonte: G1

Compartilhe

Deixe uma resposta