Menino de Palmital é levado para SP em helicóptero da PM
Compartilhe

 

Um menino de 4 anos residente em Palmital, que sofreu séria lesão na coluna no dia 18 de abril em acidente na rodovia Nelson Leopoldino, foi levado em um helicóptero da Polícia Militar de Assis para o Hospital das Clínicas em São Paulo, onde receberá acompanhamento especializado. O serviço aeromédico foi realizado no domingo por uma equipe do Grupamento de Radiopatrulha Aérea.

 

O trabalho foi coordenado pela capitã Fabiana Maria Ajjar, médica responsável pela Divisão de Medicina de Aviação, que veio a Assis buscar o paciente internado na UTI pediátrica do Hospital Regional. O garoto, que tem um quadro bastante grave, estava internado sem apresentar movimento dos membros inferiores e superiores.

 

Devido à situação a equipe médica do Hospital Regional tentou fazer a transferência do menino por via terrestre, mas a situação física não permitiu. A esperança de uma intervenção cirúrgica em São Paulo para mudar o quadro veio depois da confirmação do transporte pelo Grupamento de Radiopatrulha Aérea da PM, que conta com equipe e equipamentos para evitar os riscos de complicações aos pacientes.

 

Na manhã de domingo (05/05), o helicóptero Águia 7 pousou no pátio do 32º Batalhão. A equipe da aeronave, com a médica Fabiana Ajjar e um enfermeiro, foi levada por uma viatura do Corpo de Bombeiros ao Hospital Regional para preparar o paciente para o transporte. Com a utilização de equipamentos adequados, trazidos pela equipe da PM, o menino de Palmital foi levado à sede do batalhão e embarcado para a viagem até São Paulo.

 

Somente a equipe médica do Águia acompanhou o paciente, que chegou ao Hospital das Clínicas de São Paulo para continuar seu tratamento. A mãe do menino, que é separada do pai, foi para a capital paulista com antecedência, em veículo cedido pela Prefeitura Municipal de Palmital.

 

ACIDENTE

 

O acidente que causou a lesão na criança ocorreu na noite de 18 de abril, no quilômetro 16 da rodovia Nelson Leopoldino, nas proximidades do Clube Banespinha. A criança, juntamente com dois irmãos, estava no carro que era dirigido pelo pai, um ajudante geral de 37 anos. O veículo foi atingido na traseira por outro carro, que capotou e causou a morte de seu motorista, o vendedor Arnaldo Ronqui, de 53 anos, residente em São Paulo.

 

As circunstâncias do acidente estão sendo apuradas pela Polícia Civil de Palmital. De acordo com registros da ocorrência, o Gol branco conduzido pelo ajudante geral teria entrado repentinamente e devagar na pista sentido Palmital-Paraná, em que trafegava o vendedor. Arnaldo não teria conseguido desviar e atingiu com seu Gol prata a traseira do carro em que estavam o pai e as três crianças.

 

Consta dos registros policiais que o ajudante geral foi autuado em infração de trânsito por dirigir veículo sem possuir CNH ou permissão para dirigir. Arnaldo teve morte instantânea devido às graves lesões que sofreu, enquanto o outro motorista, não se feriu. Uma menina de 7 anos, que estava no banco da frente ao lado do pai, sofreu ferimentos leves.

 

A menina de 9 anos e o menino de 4, que estavam no banco de trás, tiveram ferimentos graves e foram levados ao Pronto-Socorro da Santa Casa de Misericórdia de Palmital, de onde foram encaminhados ao Hospital Regional de Assis. A menina teve fratura no fêmur e foi operada na Santa Casa de Assis. O menino foi levado para a UTI, onde permaneceu sedado e respirando por aparelhos até a remoção para São Paulo.

 

Fonte: Abordagem Notícias

Fotos: Otacílio Dorácio, Rádio Voz do Vale

 

Compartilhe

Deixe uma resposta