Compartilhe

A terceira onda da pandemia do coronavírus, com o recente aumento no número de casos da doença, provocou a suspensão da maioria das festividades em louvor a São Sebastião. A programação, na noite de segunda-feira (20/01), ficou restrita a uma missa solene celebrada na igreja Matriz para marcar o Dia do Padroeiro de Palmital, santo protetor contra a fome, a peste e a guerra. A data também marcou os 136 anos de fundação da cidade.

A missa na Matriz do centro de Palmital foi presidida pelo pároco Marcelo Barreto, sendo concelebrada pelo vigário Otávio Peres e pelos padres Luiz Fernando Dias, da Paróquia Santo Antônio e Alan Joaquim, reitor do Seminário São José de Assis, além de seminaristas. A celebração foi acompanhada por fiéis, seguindo protocolos de higiene e distanciamento, sendo também transmitida pela internet em redes sociais da paróquia.

A celebração, que reuniu autoridades como o prefeito Luis Gustavo e vereadores, lembrou a vida e os ensinamentos do mártir São Sebastião, além de resgatar a história da fundação da cidade de Palmital. A missa foi marcada pela ênfase a todos os segmentos que contribuíram para o processo de desenvolvimento da cidade, incluindo agricultura, comércio, religião e serviços públicos e privados. A animação musical ficou por conta do ministério Filhos da Misericórdia.

Após a benção inicial, ocorreu a acolhida de enfermeiras e auxiliares de saúde, além dos médicos Soraya Bocardo, Rogerio Bocardo e Cristiane Zanetti, representando os profissionais de saúde que estão no combate à Covid, levando em suas mãos a palavra cura. Também houve a participação da polícia, representada pelo presidente da Câmara Fabiano dos Santos, além de representantes da comunidade católica com produtos da agricultura de Palmital.

Um momento importante foi a entrada da imagem de São Sebastião, que representa a proteção ao município. As leituras foram realizadas por pessoas da nossa comunidade, como o empresário Placídio Messias Filho e o advogado João Gil, que fez as preces pedindo proteção para toda a cidade e o fim da pandemia. A leitura do Evangelho e a homilia foram feitas pelo padre Alan, que abordou a importância da fé, as ações como cristãos e os exemplos de São Sebastião para os dias atuais.

No ofertório, sementes doadas por agricultores foram levadas ao altar para bênção. Depois elas foram distribuídas à comunidade paroquial. Depois da comunhão e dos ritos finais, o padre Marcelo agradeceu aos presentes, principalmente às autoridades e representantes do clero, que acompanharam a celebração em louvor a São Sebastião.

Compartilhe

Deixe um comentário