Compartilhe

O movimento social Frente Nacional de Luta Campo e Cidade (FNL) ocupou no sábado (26/02) 13 fazendas em dez cidades da região do Pontal do Paranapanema, no extremo oeste do Estado de São Paulo.

O grupo reivindica a destinação das áreas para a implantação de assentamentos da reforma agrária para trabalhadores rurais sem-terra. A mobilização foi denominada de “Carnaval Vermelho”.

Segundo o dirigente nacional da FNL, Luciano de Lima, duas mil pessoas participam das ocupações.

“O Pontal do Paranapanema tem hoje mais de 300 mil hectares de terras julgadas e reconhecidas definitivamente pela Justiça como terras públicas, que pela lei devem ser destinadas ao programa de reforma agrária”, informou a FNL em uma nota oficial sobre as ocupações.

Segundo o movimento social, “a jornada tem como objetivo chamar atenção pelo descaso com a reforma agrária e urbana”.

“As ocupações devem continuar até que o Estado, através de seus organismos, possa agilizar as emissões na posse destas terras e realizar os assentamentos das famílias de sem-terra”, concluiu a FNL.

Integrantes da FNL ocuparam 13 fazendas no Pontal do Paranapanema neste sábado (26) — Foto: Luciano de Lima/FNL

INCRA E ITESP

Em nota ao g1, a Fundação Instituto de Terras do Estado de São Paulo (Itesp), por meio da sua Diretoria Executiva, informou que está ciente das ocupações e acompanha os casos na região do Pontal do Paranapanema.

O g1 também solicitou no sábado (26/02) um posicionamento oficial do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) sobre o assunto, mas até o momento desta publicação não recebeu resposta.

Fonte: G1

Compartilhe

Deixe um comentário