Mulher é condenada a 33 anos de prisão por envenenar ex e filhos do namorado

 

A mulher acusada de envenenar com bombons a ex-esposa e os filhos do então namorado, em Jaú (SP), foi condenada na noite desta quinta-feira (5) a 33 anos e 4 meses de prisão em regime fechado pelo crime de tentativa de homicídio contra as três vítimas, que sobreviveram ao ataque.

Asessão do Tribunal do Júri foi realizada no fórum da cidade e presidida pela juíza Carina Lucheta Carrara. O julgamento durou 12 horas e os jurados decidiram pela condenação – a decisão não foi unânime.

A sentença condenou Janaína Caldeira Nunes pelo crime de homicídio triplamente qualificado, praticado por motivo torpe (ciúme), meio cruel pelo uso do veneno e com dissimulação (uso de bombons com veneno supostamente enviados por um admirador e com flores).

Durante o julgamento, a primeira testemunha ouvida pelo Ministério Público e pela defesa foi Ana Camila Rosa, a mulher envenenada junto com seus filhos. Também prestaram depoimento o ex-companheiro da vítima e então namorado de Janaína, além de outras testemunhas.

Última a ser ouvida, Janaína Caldeira alegou arrependimento e, chorando, pediu “nova chance” aos jurados. A defesa apontou falhas no processo e tentou desclassificar a acusação, de homicídio tentado para lesão corporal.

Durante a fase de debates, o promotor Rogério Rocco Magalhães reforçou a tese da acusação de que houve premeditação e planejamento, com intenção de matar.

Janaína Caldeira, que aguardava o julgamento presa na Penitenciária de Araraquara, voltará para a unidade para cumprimento do restante da pena que recebeu do júri. A sentença negou o direito de recurso em liberdade.

O crime

No dia 28 de setembro de 2016, Janaína enviou bombons envenenados com chumbinho para casa da ex-mulher do seu então namorado. A entrega da encomenda, junto com flores e uma carta, foi feita por um mototaxista contratado por Janaína.

Além da mulher, os filhos dela, na época com 2 e 6 anos, passaram mal depois de comerem os bombons e tiveram que ser levados para a Santa Casa de Jaú.

Ana Camila foi liberada horas após a internação, mas o garoto de 2 anos passou três dias na UTI e o de 6 anos ficou três dias na ala pediátrica.

Bombom foi dado junto com uma flor e uma carta — Foto: Reprodução / TV TEM
Bombom foi dado junto com uma flor e uma carta — Foto: Reprodução / TV TEM

A suspeita foi localizada e reconhecida pelo mototaxista. Ela prestou depoimento, mas não pôde ser presa por causa da legislação que prevê apenas prisões em flagrantes no período eleitoral.

Na delegacia, Janaína confessou o crime. Disse também que colocou chumbinho nos doces e enviou para casa da ex-mulher do então namorado e o ato teria sido motivado por ciúmes. A perícia não pôde analisar o conteúdo dos chocolates, porque a família comeu todos os doces.

Janaína só foi presa mais de um ano depois, em outubro de 2017 em Barra Bonita, quando teve a prisão preventiva decretada após a conclusão do inquérito policial. Desde então ela aguardava o julgamento presa na Penitenciária de Araraquara.

Fonte: G1

Leia também no JC Online

Compartilhe

Deixe uma resposta

Fechar Menu
Não Permitido Cópia