Suspeito já estava preso preventivamente desde agosto de 2018. Estupros começaram durante a infância das enteadas e geraram três filhos

 

 

 

Um homem foi condenado a 81 anos de prisão em regime fechado por ter abusado sexualmente de três enteadas desde a infância delas. Ele já estava preso preventivamente desde agosto de 2018 após ter sido alvo do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público (Gaeco/MPRN).

Os depoimentos das vítimas demonstram que o homem adotou uma rotina para praticar os abusos. Na infância das enteadas, por volta de 10 anos, o padrasto passava a acariciá-las e logo em seguida as estuprava, de forma frequente, aproximadamente uma vez por semana, se revezando entre as vítimas.

As violações geraram três filhos, um de cada vítima. Fato foi confirmado por exames de DNA. Uma das crianças foi gerada quando a vítima ainda tinha 13 anos, enquanto as outras duas crianças foram geradas quando as demais vítimas tinham 14 anos.

Para a 3ª vara da comarca de São Gonçalo do Amarante, na Grande Natal, as provas produzidas durante o processo demonstram a autoria dos crimes de estupro de vulnerável contra as três enteadas do criminoso. “Não há por que duvidar da palavra das vítimas, uma vez que não mostram intenção deliberada de prejudicar o réu e, inclusive, mesmo depois de adultas, por vergonha, relutaram em falar sobre os abusos sofridos”, destaca a decisão da Justiça.

Leia também no JC Online

Compartilhe

Deixe uma resposta

Fechar Menu
Não Permitido Cópia