Padre que foi conselheiro de Madre Teresa é acusado de estuprar mil vezes um garoto
Compartilhe

O americano Bobby Goldberg, 61, abriu um processo contra a Igreja Católica sob a acusação de ele ter sido vítima de um padre pedófilo, Donald McGuire (foto), que foi conselheiro espiritual de Madre Teresa (foto).

Goldberg afirma, na ação, que foi abusado mais de mil vezes, começando quando ele tinha 11 anos, com “toque sexual, cópula oral e penetração anal”.

Ele disse à imprensa que só agora resolveu recorrer à Justiça porque antes não teve coragem de se expor publicamente.

O padre jesuíta McGuire morreu em 2016, aos 86 anos, em um presídio, cumprindo pena de 25 anos por ter abusado de outros garotos.

As suspeitas e acusações em relação a McGuire já eram frequentes na época em que foi conselheiro espiritual de Madre Teresa, na década de 1970.

Mesmo assim, McGuire sempre contou com o apoio da missionária, que afirmava acreditar na inocência dele, e, depois, da instituição de caridade fundada por ela.

‘Tenho confiança no padre McGuire e desejo que seu ministério vital seja retomado o mais breve possível’, disse ela em 1994, quando o sacerdote passou um tempo em uma clínica psiquiátrica.

Essa manifestação da missionária ajudou McGuire a retomar seu ministério e os abusos de garotos.

Em 2003, McGuire tem de enfrentar um tribunal. Freiras de Madre Teresa lotaram a audiência com o boton “Apoio o padre McGuire”, o que não impediu a condenação.

Para Bobby Goldberg, madre Teresa sabia que seu conselheiro espiritual abusava de garotos, mas, acredita, ela defendeu o sacerdote para preservar a imagem de sua instituição e da Igreja Católica.

Na ação judicial, Goldberg faz um relato minucioso de sua convivência com o padre McGuire.

Ele conheceu o sacerdote em 1970 em Chicago. McGuire ofereceu um emprego para a irmã doente e mãe solteira de Goldberg, mas em troca o padre pediu sexo ao então garoto.

De acordo com o relato, McGuire “adotou” Goldberg, e ambos viajaram por vários países em missões espirituais.

Enquanto o garoto sofria abusos quase diários do amigo de Madre Teresa de Calcutá, ela se tornou muito conhecida e respeitada. Em 1997, ganhou o Prêmio Nobel da Paz.

A missionária morreu em 1997 e em 2016 o papa Francisco a consagrou santa.

Compartilhe