Palmital faz adesão a novo programa habitacional
Compartilhe

Prefeito Ronqui esteve em evento no Palácio dos Bandeirantes para lançamento do Nossa Casa da CDHU, que permite parcerias com o setor privado e oferece subsídios para a aquisição dos imóveis

 

O prefeito José Roberto Ronqui esteve no Palácio dos Bandeirantes na quarta-feira para formalizar a adesão de Palmital ao programa Nossa Casa, lançado pela Companhia de Desenvolvimento Habitacional e Urbano (CDHU), que prevê a implantação de 11 mil unidades em 114 municípios do Estado de São Paulo. O evento teve a presença do governador João Doria, do secretário de Estado da Habitação, Flávio Amary, e do presidente da CDHU, Reinaldo Iapequino.

A iniciativa prevê que as casas sejam instaladas em terrenos doados pelos municípios e caberá à CDHU a elaboração dos projetos e o chamamento empresarial para selecionar as empresas que executarão o empreendimento. A contratação das construtoras será feita pela Caixa Econômica Federal e os subsídios serão concedidos para quem tem renda familiar mensal de até cinco salários mínimos.

À CDHU caberá a seleção dos beneficiários, por meio de sorteio, antes do início das obras. Conforme a ordem de classificação do sorteio, as famílias serão encaminhadas à Caixa para a obtenção do financiamento habitacional. O Nossa Casa foi instituído pelo atual governo e receberá investimento de R$ 1 bilhão na construção de 60 mil unidades até 2022. O programa incentiva parcerias entre o Estado, as prefeituras e a iniciativa privada para atender famílias de baixa renda.

O programa conta também com outras duas modalidades. No Nossa Casa-Apoio, empresas privadas oferecem terrenos e constroem os empreendimentos. No Nossa Casa-Preço Social há o envolvimento entre os municípios, que doam os terrenos, e empresas selecionadas por licitação para a construção de moradias a preços abaixo do valor de mercado. As famílias interessadas nos empreendimentos se cadastrarão pelo site do programa e serão selecionadas por meio de sorteio.

Nas três modalidades, a Secretaria de Estado da Habitação concederá subsídios de até R$ 40 mil por meio da Agência Casa Paulista, conforme a renda das famílias. Será possível contar ainda com subsídios federais e utilizar o FGTS no financiamento habitacional, quando disponível. Desta forma, o valor das prestações ficará compatível com a capacidade de pagamento das famílias.

O prefeito esteve no evento acompanhado do vereador Homero Marques Filho, o Homerinho, e aproveitou para fazer contatos em busca de benefícios a Palmital. Ele se encontrou com o secretário de Desenvolvimento Regional Marco Vinholi e a subsecretária de Planejamento Ivani Vicentini, além do gerente regional da CDHU de Marília Fernando Branco Nunes e com diretores da companhia habitacional Marcelo Hercolin (atendimento social) e Aguinaldo Quintana (projetos).

Ronqui destacou que vai buscar parcerias para viabilizar a construção de novas casas populares em Palmital. O prefeito ressaltou ainda que está trabalhando para execução das 27 casas do conjunto Palmital G, com investimento previsto de R$ 2,8 milhões. O novo núcleo está previsto para terreno anexo ao Conjunto Albino Rainho, onde antigamente funcionava um frigorífico. “Estamos tratando deste projeto e vamos ter de atualizar o Plano Diretor Municipal, pois a área de ainda consta como de interesse ambiental. Vamos licitar a contratação de empresa para refazer o plano e possibilitar a execução das obras”, afirmou.

 

 

Bijuca assina parceria para 43 casas em Campos Novos

O prefeito Júlio César do Carmo, o Bijuca, também participou do lançamento do programa habitacional na sede do governo de São Paulo na quarta-feira. O chefe do executivo confirmou a liberação de 43 unidades pelo programa Nossa Casa para atender famílias de baixa renda em Campos Novos Paulista. Durante o evento, ele se encontrou com o presidente da Alesp Cauê Macris, que esteve como governador em exercício na semana passada durante viagens ao exterior do governador Dória e do vice Rodrigo Garcia.

Compartilhe

Deixe uma resposta