Palmital tem 931 notificações e 279 casos confirmados de dengue, informa Secretaria de Saúde
Compartilhe

A Secretaria de Saúde da Prefeitura, por meio da Vigilância Epidemiológica, atualizou informações sobre a epidemia de dengue em Palmital. Segundo o órgão municipal, do dia 1º de janeiro até esta quarta-feira (19/02), foram realizadas 931 notificações de pessoas que foram atendidas em unidades de saúde com sintomas da doença, com 279 casos confirmados por exames laboratoriais. Outros 101 foram negativos. Ainda há 551 casos suspeitos em investigação na qual os pacientes ainda aguardam a coleta de sangue para exame ou esperam os laudos de sorologia do Instituto Adolf Lutz de Marília.

 

Para frear o avanço da doença, que já causou mortes na região, a Prefeitura está mobilizando equipes para um intenso trabalho de combate ao Aedes aegypti. Além das ações de bloqueio a focos, nebulização e arrastão de limpeza, a administração municipal faz campanha que pede a colaboração da população para manter residências, quintais e terrenos limpos e livres de criadouros do mosquito transmissor.

 

Na terça-feira (18/02), a Secretaria de Saúde da Prefeitura iniciou um arrastão contra a dengue, que tem o objetivo visitar residências e imóveis para remover os criadouros do Aedes aegypti. O trabalho de visitação está a cargo das equipes de agentes comunitários do programa Estratégia Saúde da Família (ESF), com o reforço de funcionários da Secretaria de Esportes e da Vigilância de Saúde.

 

O arrastão foi iniciado pela região do Afonso Negrão e a área da Vila Volga, partindo em direção ao São José e os conjuntos habitacionais Miguel Huertas, Inocente Osés, Waldyr Faro e Albino Rainho. O trabalho reforça as ações das equipes de Controle de Endemias que estão realizando o bloqueio a criadouros e a nebulização para erradicar o mosquito na fase adulta, com o objetivo de frear a transmissão da doença em regiões com maior número de casos.

 

Nesta quarta-feira, agentes de controle de endemias realizaram a nebulização em área do bairro São José que compreende quadras nas ruas Estados Unidos, Olímpio Braga, Horácio da Silva Leite, Pio XII, Emílio Rorato e Henrique Alberto da Silva. Outros agentes estavam fazendo visitas a imóveis para a erradicação de criadouros na rebião do Jardim São Francisco, nas proximidades dos núcleos do ESF II e III, onde os trabalhos de nebulização devem ser realizados nesta quinta-feira (20/02).

 

EPIDEMIA – A Secretaria de Saúde montou uma sala de hidratação e apoio aos pacientes, com equipe médica e de enfermagem, no Centro de Diagnóstico da Santa Casa, com o objetivo de desafogar o fluxo nas unidades do ESF e no Pronto-Socorro Municipal. O local, que tem inicialmente dez leitos, possibilita que doentes recebam soro e cuidados para enfrentar os sintomas da dengue.

 

A atual epidemia é atribuída ao aumento da infestação do mosquito transmissor e à circulação de um novo tipo de vírus da dengue em Palmital. “A doença tem quatro sorotipos diferentes. Em 2015, quando houve grande número de casos e nos períodos seguintes, a variedade era do tipo 1. Agora, verificamos em Palmital a contaminação pelo tipo 2, que circulou pela região em anos anteriores e fez muitas vítimas”, explicou a secretária Daniele Andrade dos Santos.

Compartilhe

Deixe uma resposta