PM foi morto após se envolver com enteada
Marreta foi utilizada para matar PM

Policiais da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) prenderam duas mulheres (mãe e filha), suspeitas de envolvimento direto na morte do cabo da Polícia Militar, Elias Matias Ribeiro, de 49 anos. Um homem, tio de uma das acusadas, foi quem teria dado o golpe certeiro enquanto o militar dormia. Ele está foragido. 

O carro do PM foi encontrado em chamas no canavial da vicinal que liga a Rodovia Antônio Machado Santana (SP-255) quase na divisa entre Araraquara e Américo Brasiliense, durante a madrugada.

O corpo foi levado para São Paulo para ser submetido a exames com um perito odontológico, para confirmar a identidade do policial por meio da arcada dentária. 

Crime passional – O titular da Delegacia de Investigações Gerais (DIG), Fernando Bravo, disse que desde a madrugada passaram a diligenciar para esclarecer esse bárbaro homicídio, identificando as duas mulheres envolvidas e tendo como passional o motivo da execução.

Elas confessaram o crime. À DIG, disseram que a mãe, Jaciane Maria, de 40 anos, namorava o Cabo Matias há cinco meses.

Mas durante o relacionamento, ele passou a sair com a filha mais nova dela (uma jovem de 20 anos). Um vídeo entre os dois apareceu, revoltando a mãe e a irmã mais velha, Larissa Marques, de 22 anos.

MORTE PLANEJADA

Juntas, elas combinaram a morte do policial com um tio, que já tinha a chave para entrar na casa. Enquanto o policial dormia, ele foi atingido a golpes de marreta.

Os três enrolaram o corpo no colchão ensanguentado dentro do seu carro. No canavial, eles colocaram fogo e fugiram com o carro da filha.  

A Polícia Civil procura o tio, um homem de 54 anos, autor dos golpes que mataram a vítima. A marreta usada no crime foi apreendida.

Leia também no JC Online

Compartilhe

Deixe uma resposta

Fechar Menu
Não Permitido Cópia