Polícia apura motivação para morte de jovem no São José
Compartilhe
Imagem de câmara de segurança mostra Victor e o assassino, de boné, conversando no bar

 

 O delegado Giovani Bertinatti, responsável pela investigação da morte do soldador Victor Gabriel Rodrigues Miranda, de 21 anos, disse que a Polícia Civil de Palmital não tem dúvidas quanto à autoria do crime. Ele confirmou que o assassinato foi praticado pelo pedreiro A.M.N., de 42 anos, conforme identificação feita logo após o crime ocorrido na madrugada do último domingo em um bar no bairro São José. O acusado, que fugiu do local levando a faca usada para matar o jovem, deverá responder por homicídio qualificado pela impossibilidade de defesa da vítima.

“Não há dúvida sobre a autoria e estamos trabalhando para esclarecer as circunstâncias e a motivação”, disse o chefe da Polícia Civil. “Dependendo da motivação, poderemos incluir uma segunda qualificadora, que resulta no aumento da pena”, explicou o delegado, afirmando que o acusado está com a prisão temporária decretada pela Justiça da Comarca. “O autor, que já tem condenação por tentativa de homicídio praticada em 2012, é considerado foragido”, completou.

 

 

Jovem foi morto a facadas no bairro São José

 

Conforme informações da polícia, que teve acesso às imagens de uma câmera de segurança do bar, Victor e o assassino bebiam e conversavam no estabelecimento. Por volta das 2 horas, os dois iniciaram uma discussão e saíram para a rua, onde brigaram e o acusado desferiu quatro facadas no jovem, que atingiram o tórax, abdômen, braço esquerdo e costas. O soldador chegou a voltar para dentro do estabelecimento, onde caiu e morreu.

O proprietário do bar disse à polícia que viu Victor entrando ensanguentado e caindo no chão, enquanto o autor fugia com a faca usada no crime. Os PMs fecharam o local para preservar a cena do crime e garantir os trabalhos de perícia pela Polícia Civil. Policiais tiveram dificuldade para conter aproximadamente 50 pessoas que estavam na rua e tentavam invadir o estabelecimento para ver o corpo. Devido ao início de tumulto, foi necessário apoio de outras unidades para dispersar o grupo.

HOMEM QUE ATIROU CONTRA PM TEVE PRISÃO PREVENTIVA DECRETADA

Homem, que foi preso durante ocorrência, atirou contra policiais e atingiu viatura da PM

 

Durante a confusão na porta do bar, um rapaz de 27 anos, que é conhecido nos meios policiais pela prática de crimes e que estava incitando as pessoas contra a PM, usou uma arma de calibre 32 para atirar contra os policiais. O disparo atingiu o capô da viatura. O acusado, que foi preso por tentativa de homicídio contra os PMs, também usou seu carro para abalroar a viatura que estava estacionada em frente ao estabelecimento.

Segundo informações dos policiais que atenderam à ocorrência, o rapaz teria afirmado que queira “cobrar a bronca” de quem matou seu “irmão de consideração”. A arma que ele usou contra os policiais não foi localizada e apenas uma cápsula deflagrada foi encontrada na rua e apreendida pela Polícia Civil.

Com relação à prisão feita durante a ocorrência, o delegado Bertinatti afirmou que o acusado passou por audiência de custódia na Justiça e, atendendo ao pedido da autoridade policial, teve a prisão preventiva decretada por tentativa de homicídio qualificado por atentar contra agente de segurança pública, além de praticar dano ao patrimônio público e resistência.

O rapaz, que já tem passagens pela prática de crimes, foi encaminhado para a Cadeia Pública de Lutécia e deverá aguardar o processo encarcerado. O delegado informou ainda que um segundo envolvido no tumulto na porta do bar foi identificado e deverá ser enquadrado por crime de resistência por incitar pessoas a agir contra o trabalho da PM.

Compartilhe