Polícia apura suspeita de apologia ao crime em música de MC que relata ataque a bancos
Polícia apura suspeita de apologia ao crime em música de MC que relata ataque a bancos em Botucatu
Compartilhe

MC Bokão informou que fez a música baseada em notícias da imprensa e se pronunciou dizendo que é apenas um personagem. Bandidos explodiram agência, incendiaram carros, trocaram tiros com a PM e fizeram moradores reféns.

A Polícia Civil abriu um inquérito para investigar uma suspeita de apologia ao crime na música do MC Bokão “Assalto em Botucatu”, que relata a ação da quadrilha que atacou agência bancária e aterrorizou os moradores da cidade no dia 29 de julho.

Na música, o MC se coloca no lugar dos criminosos da quadrilha e relata em primeira pessoa os acontecimentos no dia do crime. (Veja abaixo.)

“Nosso objetivo é voltar com vida para casa. Em questão de dias vou bolar um plano, duplicar os malotes para compensar a ‘caozada'”, canta o MC em um trecho da música.

“É o criminoso mais ‘psico’ de São Paulo, roubando banco em vários estados e o destino foi Botucatu”, explica outro trecho.

De acordo com o delegado seccional de Botucatu, Lourenço Talamonte Neto, a música faz apologia ao crime, por isso, foi instaurado um inquérito para apurar os fatos. No entanto, não há suspeita de que o MC tenha relação direta aos criminosos que atacaram a cidade.

“Ele se autointitula empresário do crime. Por ser uma apologia ao crime, um incentivo, então instauramos um inquérito para apurar. Mas não podemos dar mais importância para isso do que para o crime em si”, explica o delegado.

O Ministério Público também foi acionado e o delegado informou que a pena para esse tipo de crime é detenção de 3 a 6 meses.

Em seu canal no Youtube, que tem 363 mil inscritos, o MC Bokão se pronunciou após a repercussão da música nas redes sociais. Ele diz que usou apenas imagens de videogame no clipe, não do assalto real, e que fez a música baseado em reportagens da imprensa.

“É um personagem, não tem nada a ver. Eu tenho minha vida particular, tenho filha, tenho família, não tem nada a ver uma coisa com a outra. O tipo de música que eu canto não quer dizer nada”, diz o artista.

Investigações

Suspeito preso em SP teve participação direta no ataque a bancos em Botucatu — Foto: TV TEM/Reprodução

Suspeito preso em SP teve participação direta no ataque a bancos em Botucatu

A polícia prendeu, até a manhã desta segunda-feira (10), oito suspeitos de participação no crime em Botucatu. De início, quatro mulheres e um homem foram detidos suspeitos de ajudarem na fuga dos criminosos.

Em seguida, um homem de 42 anos foi preso em São Paulo e a polícia confirmou que ele teve participação direta no ataque. Por fim, mais dois suspeitos foram presos no último dia 5. A Polícia Civil informou que já identificou outros criminosos e segue investigando o crime para prendê-los.

No dia seguinte ao crime, um suspeito foi morto durante troca de tiros com a polícia, mas a família alega que o homem é inocente e não participava da quadrilha.

Ataques

Criminosos atacaram pelo menos três agências na Rua Amando de Barros, no centro de Botucatu  — Foto: Arte G1

Criminosos atacaram pelo menos três agências na Rua Amando de Barros, no centro de Botucatu

O ataque em Botucatu começou por volta das 23h30 do dia 29 de julho e durou cerca de três horas. O crime causou pânico na cidade e pelo menos 40 homens teriam participado da ação criminosa.

Os bandidos também fizeram moradores reféns e roubaram uma joalheria. A dona da loja acompanhou a ação dos criminosos ao vivo pelo celular.

Terror em Botucatu: bandidos atacam agências bancárias e trocam tiros com a polícia

Terror em Botucatu: bandidos atacam agências bancárias e trocam tiros com a polícia

A troca de tiros intensa foi ouvida de vários pontos da cidade e balas atingiram imóveis em uma das ruas usadas como rota de fuga do bando. Na tentativa de acalmar a população da cidade, um padre fez uma live durante os ataques e pediu proteção.

Dois policiais ficaram feridos durante o confronto na madrugada, mas já receberam atendimento médico e passam bem. Imagens de circuito de segurança registraram o momento em que um deles é atingido por tiros.

Na manhã do dia 30 de julho, em um novo tiroteio entre policiais e criminosos na Rodovia Marechal Rondon, um suspeito ficou ferido após ser baleado enquanto tentava fugir. Ele foi socorrido, mas chegou morto ao hospital. A família do suspeito alega que ele é inocente e não participava da quadrilha.

Um inquérito foi aberto para investigar a ação da quadrilha e tentar identificar os criminosos. A polícia não descarta a participação do grupo em outros crimes semelhantes ocorridos neste ano na região.

Segundo o delegado seccional de Botucatu, o alvo dos criminosos era a agência do Banco do Brasil, que foi explodida pela quadrilha, mas outras duas agências ficaram danificadas por causa dos tiros e estilhaços da explosão.

A polícia recuperou R$ 1,6 milhão que estavam em malotes e foram devolvidos ao banco. Além disso, os criminosos perderam carros blindados e armas.

Polícia localiza moto usada por criminosos na fuga após ataque a bancos em Botucatu — Foto: Polícia Civil/Divulgação

Polícia localiza moto usada por criminosos na fuga após ataque a bancos em Botucatu

A polícia também localizou uma moto que foi utilizada na fuga por um dos criminosos. A motocicleta tem placa de Botucatu e foi roubada na noite dos ataques, segundo boletim de ocorrência registrado pela vítima.

FONTE: G1

Compartilhe