Compartilhe

A Polícia Ambiental, por meio de equipe do 2º Pelotão de Assis, esteve em Palmital na quinta-feira e constatou a prática de desmatamento em área de mata ciliar no rio Paranapanema. A ocorrência, no bairro rural da Água da Mexerica, resultou na lavratura de dois autos de infração e na aplicação de multas aos proprietários por dificultar a recuperação da vegetação.

Conforme relatório da Polícia Ambiental, uma equipe realizou vistoria na Área de Preservação Permanente (APP) em um braço do reservatório da hidrelétrica de Canoas II, onde fica um condomínio de chácaras na área próxima ao antigo bar do Livinho. A ação faz parte de apuração do Ministério Público do Estado de São Paulo, com base em levantamento realizado por satélite.

Foto: Divulgação Polícia Ambiental

No local, os policiais constataram a degradação ambiental em dois locais, resultando em autos de infração por “dificultar a regeneração natural de demais formas de vegetação nativa de preservação permanente”, infringindo o artigo 48 da Resolução SIMA 05/22 e incorrendo no disposto do art. 48 da Lei Federal n. 9.695/98.

Uma das multas pela infração ambiental, referente a área de 0,0269 hectare de desmatamento, teve o valor estabelecido em R$ 134,50. Outra, para uma área de 0,04 hectare, atingiu o montante de R$ 200,00. Depois das medidas administrativas, os casos serão encaminhados para a Delegacia da Polícia Civil para apuração de responsabilidades penais.

Compartilhe

Deixe um comentário