Polícia Militar Ambiental multa caçador em R$ 1,5 mil e apreende carne de tatu
Compartilhe

A Polícia Militar Ambiental autuou um homem de 54 anos em R$ 1,5 mil por caçar e manter em depósito animais silvestres, no distrito de Primavera, em Rosana. O caso aconteceu na sexta-feira (12/07).

 

Após denúncias de caça nas proximidades do Córrego Jacutinga, uma equipe da polícia realizou incursão a pé pela vegetação, na margem direita, e encontrou duas armadilhas de ferro e uma rede do tipo “coador” para captura de capivara.

 

Nas margens do córrego, havia o couro e as vísceras de uma capivara abatida, segundo a corporação.

 

Ainda em diligências, os militares se depararam com o suspeito em uma das trilhas, o qual confirmou que havia matado a capivara e que seria o proprietário das armadilhas.

 

A polícia foi até a residência do indivíduo e localizou no freezer dois animais silvestres da espécie tatu galinha. Questionado sobre a carne da capivara, o homem disse que já havia sido repassada a amigos.

 

O suspeito recebeu três autos de infração ambiental, sendo um no valor de R$ 500 por matar animal da fauna silvestre, outro na modalidade advertência por caçar animal silvestre e o terceiro na quantia de R$ 1 mil por ter em depósito produto da fauna silvestre.

 

Segundo a polícia, o homem foi conduzido para a Delegacia da Polícia Civil em Primavera, para o registro da ocorrência. Em seguida, ele foi liberado.

 

A carne apreendida foi encaminhada à Vigilância Sanitária para destinação apropriada, ainda conforme a Polícia Militar Ambiental.

Fonte: G1

Compartilhe

Deixe uma resposta