Policial rodoviário tira a própria vida na Base de Assis

A Polícia Rodoviária registrou um lamentável caso em sua Base Operacional de Assis na manhã desta quinta-feira (12/06). O cabo Lincoln Clarindo dos Santos tirou a própria vida, com um tiro na cabeça. O suicídio ocorreu no prédio que fica dos fundos da unidade, onde funciona o setor administrativa.

 

Segundo informações, o policial apresentava problemas de saúde e estava trabalhando interno na 3º Companhia da Polícia Rodoviária de Assis, com restrição de uso da própria arma, que lhe foi retirada. Fontes extraoficiais apontam que ele entrou na sala de comunicações da base (telemática) para pegar algum material e encontrou a pistola de outro policial que estava no local. Ele pegou a arma e efetuou um disparo contra a própria cabeça, sem que ninguém tivesse a chance de evitar.

 

Houve o acionamento da Polícia Civil para o registro da ocorrência e a realização da perícia no local. O cabo integrava a equipe Tático Ostensivo Rodoviário (TOR), que é a responsável pelo combate à prática de crimes nas rodovias paulistas. Lincoln estava afastado do trabalho operacional por apresentar problemas de depressão. O policial, que morava em Tarumã, era casado e tinha uma filha pequena, com 5 anos.

 

VIVER VALE A PENA

Pessoas que sofrem com a depressão e a ideação suicida devem ser encaminhadas para acompanhamento por médicos e psicólogos. Caso identifique um familiar ou amigo com o problema, a pessoa deve procurar ajuda nas unidades básicas de saúde. O Centro de Valorização da Vida (CVV) também realiza apoio emocional e prevenção do suicídio, atendendo voluntária e gratuitamente todas os que queiram e precisam conversar, sob total sigilo por telefone, email, chat e Skype 24 horas todos os dias.

O contato pode ser feito pelo telefone 188 ou pelos outros canais disponíveis no site, que podem ser acessados no site www.cvv.org.br.

Compartilhe

Deixe uma resposta

Fechar Menu
Não Permitido Cópia