Região de Marília, que inclui Palmital, recua para fase laranja do plano de flexibilização da quarentena
Atualização do Plano São Paulo desta sexta-feira (8) — Foto: Divulgação/Governo de São Paulo
Compartilhe

Cidades devem seguir as regras da segunda fase mais restritiva do Plano São Paulo, depois de passarem meses seguindo a flexibilização da fase amarela.

O Governo do Estado regrediu a região de Marília (SP) e outras três no estado para a fase laranja do Plano São Paulo de flexibilização da economia. A informação foi divulgada durante uma coletiva de imprensa, no início da tarde desta sexta-feira (8).

Além da reclassificação das regiões, foram anunciadas também mudanças nas regras da fase laranja e dos indicadores utilizados pelo governo. A partir de agora, as taxas de casos a cada 100 mil habitantes também farão parte da avaliação.

Além disso, algumas atividades como salões de beleza, academias e parques, por exemplo, agora serão permitidas na fase laranja. O atendimento presencial em bares continua proibido.

  • Confira os números da pandemia nas regiões de Bauru e Marília

O Departamento Regional de Saúde (DRS) de Marília estava na fase amarela do Plano São Paulo desde o começo de setembro. A região tinha avançado para essa fase junto com Bauru no início de agosto, mas foi rebaixada novamente 15 dias depois.

A fase laranja, segunda mais restritiva do Plano São Paulo, é considerada uma etapa de atenção, com eventuais liberações. Shoppings, galerias, academias, comércio e serviços podem funcionar desde que respeitando os seguintes critérios, que também tiveram mudanças anunciadas na coletiva:

  • Atividades serão permitidas em todos os setores. A exceção é o atendimento presencial de bares, que continua proibido.
  • Capacidade de ocupação: antes era de 20% e vai para 40% em todos os setores
  • Funcionamento máximo: ampliado de 4 para 8 horas por dia
  • Horário de fechamento: atendimento presencial só poderá ser feito até 20h
  • Parques estaduais: poderão abrir
Plano São Paulo estabeleceu novas regras para fase laranja, na qual está classificada toda a região de Presidente Prudente — Foto: Reprodução

Plano São Paulo estabeleceu novas regras para fase laranja, na qual está classificada toda a região de Presidente Prudente — Foto: Reprodução

Segundo a prefeitura de Marília, o Comitê de Enfrentamento à Covid-19 se reuniu na tarde desta sexta-feira para que a equipe de saúde estude os detalhes da mudança de fase, mas novas regras só devem ser anunciadas na próxima terça-feira (12). Até lá, segundo a prefeitura, tudo permanece como está.

Situação semelhante é a de Ourinhos, que pertence ao DRS de Marília e também retrocedeu para a fase laranja. Segundo a prefeitura, o município vai aguardar a publicação da reclassificação no Diário Oficial do Estado e um novo estudo técnico da Secretaria Municipal de Saúde.

Posteriormente haverá reunião do comitê de combate ao coronavírus para análise dos requisitos técnicos e a prefeitura deverá se manifestar até terça-feira (12). Até lá, segundo nota do Executivo, vale o decreto em vigor, com as regras vigentes na fase amarela.

Outras regiões do centro-oeste paulista

O Departamento Regional de Saúde de Bauru manteve-se na fase amarela. Está em vigor na cidade um decreto que estendeu a quarentena até o dia 17 de janeiro, mantendo as restrições previstas na fase 3 (amarela), que também sofreu algumas modificações e tornaram-se menos rigorosas:

O que muda na fase amarela:

  • Capacidade máxima passa a ser limitada a 40% de ocupação para todos os setores. Antes, o percentual variava por setor: academias podiam operar com apenas 30% da ocupação, por exemplo.
  • O atendimento presencial ao público pode ser feito apenas até às 22h, em todos os setores, exceto no setor de bares, que pode funcionar até 20h.
  • O horário de funcionamento passa a ser limitado a 10 horas por dia para todos os setores. Antes, o horário variava por setor.

Quatro cidades do centro-oeste paulista que pertencem ao DRS de Araraquara continuam na fase amarela. São elas: Borborema, Ibitinga, Itápolis e Tabatinga.

Outras duas, Quatá e João Ramalho, pertencem ao DRS de Presidente Prudente, região que havia sido rebaixada para fase vermelha, e agora subiu para fase laranja.

FONTE: G1

Compartilhe