Compartilhe

Interventor José Manoel Rocha Bernardo disse que agora é preciso profissionais pintores e pedreiros para serviços voluntários

 

saúde jc

 

Em reunião com membros do grupo que forma o Conselho Gestor Externo (CGE) da Santa Casa de Misericórdia de Palmital, na noite de quinta-feira, o interventor nomeado pela Prefeitura de Palmital, José Manoel Rocha Bernardo, apresentou um balanço informal dos primeiros 30 dias de trabalho e explicou as mudanças que estão sendo implementadas. Segundo ele, além das dificuldades administrativas devido a falhas de procedimentos, os recursos escassos é a maior dificuldade para garantir a manutenção do hospital. Ele explicou que a Prefeitura já fez aporte de R$ 100 mil além dos valores que repassa, mas que será preciso mais recursos para fechar as contas do mês.

Segundo José Manoel, o déficit mensal apurado de R$ 250 mil mensais na prática pode ser bem maior, pois estão surgindo algumas surpresas como cerca de 30 funcionários com férias acumuladas, a necessidade de manter a pagamento dos impostos atualizados, dentro do mês, já que antes era feito com dois meses de atraso, entre outras dívidas não previstas inicialmente.

O interventor explicou que a prioridade é a manutenção do funcionamento da Maternidade, uma vez que está sendo necessária a criação de novas equipes de obstetrícia devido à posição adotada por alguns profissionais da cidade em não aceitar os protocolos de trabalho. “Vamos trabalhar com transparência e seriedade, oferecendo igualdade de condições a todos os profissionais dispostos a colaborar com a nova filosofia adotada”, ressaltou.

Outra necessidade considerada emergencial é a melhoria das condições de higiene, limpeza e estética do prédio, cujas primeiras medidas foram a desocupação de centros cirúrgicos entulhados de materiais inservíveis e o serviço de limpeza e dedetização. Entretanto, a necessidade de pequenos reparos e de pintura geral no prédio também é considerada como prioridade a partir de avaliação feita pelo engenheiro civil voluntário Lucas Franco.

 

Doadores anônimos oferecem mais de R$ 20 mil

 

Uma campanha informal, sem divulgação, feita a partir de reuniões com grupos de pessoas da comunidade, conseguiu arrecadar mais de R$ 20 mil que serão usados na aquisição de material para a pintura e pequenos reparos no prédio. Além da doação espontânea e anônima de dezenas de pessoas, estão surgindo profissionais da construção civil oferecendo serviços gratuitos. Segundo José Manoel, a necessidade agora é de pintores e pedreiros para alguns reparos no prédio e pintura geral.

A reunião serviu também para discutir os rumos da administração do hospital e organizar campanhas de arrecadação. Uma das iniciativas deverá ser a retomada da tradicional Festa de 1º de Maio, cujos recursos arrecadados deverão ser direcionados a investimentos na infraestrutura do hospital. “Os serviços e os salários são bancados pela Prefeitura, mas é preciso a participação da população para que a Santa Casa se recupere rapidamente”, salientou José Manoel.

Para se tornar doador ou profissional voluntário da Santa Casa de Misericórdia, com preferência para quem atua na construção civil, deve-se procurar pessoalmente a enfermeira Marta ou manter contato pelo telefone 3351-9100, no ramal 9107.      

Compartilhe

Deixe uma resposta