Compartilhe

Um trabalhador, de 36 anos, morreu soterrado na tarde de terça-feira (22/02) enquanto atuava em uma obra da construção civil no loteamento do bairro Residencial Annita Bongiovanni, na zona oeste de Presidente Prudente (SP).

A vítima foi identificada como Ricardo Rodrigues da Silva. Ele trabalhava na obra como encarregado de setor. Era casado e pai de duas crianças.

De acordo com as informações fornecidas pelo Corpo de Bombeiros, a vítima ficou cerca de 50 minutos completamente soterrada a cinco metros de profundidade.

Os bombeiros retiraram o trabalhador do local e o encaminharam ao Hospital Regional (HR) para receber atendimento médico.

O homem apresentava um quadro de parada cardiorrespiratória quando foi resgatado pelos bombeiros. Na obra, o trabalhador atuava na construção da rede de esgoto do loteamento.

O tenente Marcos Machado, do Corpo de Bombeiros, explicou que quando chegaram ao local as equipes de resgate tentaram descobrir a profundidade em que o trabalhador estava soterrado. Com isso, os bombeiros adotaram o procedimento de sondagem, com o uso de equipamento. Com a percepção de que a vítima estava mais abaixo, os socorristas passaram a contar com a ajuda de uma máquina retroescavadeira, que fez a retirada de terra da vala.

Durante a sondagem, os socorristas perceberam onde a vítima estava e conseguiram retirá-la do buraco em um quadro de parada cardiorrespiratória. O trabalhador foi levado ao HR para receber atendimento médico, mas não resistiu e faleceu.

Um outro trabalhador da obra que estava com a vítima quando ocorreu o soterramento direcionou as equipes dos bombeiros durante o socorro para a conclusão do resgate o mais rapidamente possível.

“A gente sabe que nesse tipo de situação o soterramento acaba asfixiando a vítima. Não consegue respirar devido ao soterramento. Então, cada segundo, cada minuto é importante. Com essas informações, a gente conseguiu chegar o mais rapidamente possível até ela e realizamos o socorro até o hospital”, disse o tenente Marcos Machado.

“Infelizmente, essa terra que acabou vindo sobre a vítima é a terra de retirada para realização da obra. Foram esses montes de terra que cederam sobre o trabalhador. Infelizmente, esse tipo de situação impede o que a gente chama de bolha de sobrevivência, onde ela poderia se manter viva, respirando. Nesse cenário aqui, a terra ocupa todo o espaço, não permitindo que a vítima respire, o que é ainda mais dificultoso o trabalho e para a sobrevivência dela”, salientou o oficial do Corpo de Bombeiros.

De acordo com o tenente Machado, o trabalhador foi surpreendido porque ele estava praticamente em pé dentro da vala em que ocorreu o soterramento. Ele não deitou junto com a terra e ficou em pé, mas estava em um local de difícil acesso. “Por isso, a gente demandou um pouco de tempo”, frisou o oficial.

Machado ressaltou também a importância do trabalho de sondagem para evitar que a retroescavadeira machucasse ainda mais a vítima. “Então, é um trabalho minucioso para que a gente tente evitar o agravamento dos ferimentos”, pontuou.

A vítima foi compactada com a terra e, quando os bombeiros a localizaram, não estava fácil a retirada. Por isso, os socorristas tiveram de retirar a terra do entorno da vítima para conseguir resgatar o trabalhador do buraco.

Em nota ao g1, o HR informou que o óbito foi constatado às 16h37.

As empresas responsáveis pela obra divulgaram uma nota oficial na qual informaram que irão aguardar as conclusões dos trabalhos técnicos que apontarão as causas do acidente. Veja a íntegra:

“As empresas Incorporadora Mampei Funada, Protenge Urbanismo e Ind Empreendimentos Infraestrutura e Terraplanagem lamentam o acidente ocorrido na data de hoje, que vitimou o Sr. Ricardo Rodrigues da Silva, colaborador da empresa Ind Empreendimentos Infraestrutura e Terraplanagem, contratada para a execução das obras de infraestrutura do empreendimento Residencial Annita Bongiovanni. Externamos os nossos sinceros sentimentos a todos os familiares e amigos da vítima. Aguardaremos as conclusões dos trabalhos técnicos que apontarão as causas do acidente”.

Reparo na tubulação

De acordo com o Boletim de Ocorrência registrado na Delegacia Participativa da Polícia Civil, um trabalhador, de 37 anos, que testemunhou o soterramento, contou que estava com a vítima dentro do buraco, onde fizeram a passagem da tubulação de esgoto e realizaram a solda plástica.

Ao terminar o serviço, ainda segundo o Boletim de Ocorrência, a testemunha já subia a escada, quando a vítima olhou e notou que a tubulação estava deslocada e voltou para repará-la.

No entanto, quando o trabalhador abaixou-se para fazer o reparo, houve o desmoronamento de terra.

De imediato, já foi solicitada ajuda para a retirada da terra, porém, o trabalhador permaneceu soterrado por pelo menos 50 minutos.

Depois do resgate do trabalhador, os bombeiros ainda fizeram as manobras de ressuscitação e o encaminharam ao Hospital Regional, onde já chegou sem vida, segundo o Boletim de Ocorrência.

A Polícia Científica esteve no local para realizar a perícia. A vítima foi submetida ao exame necroscópico. Na Polícia Civil, o caso foi registrado como morte acidental.

Fonte: G1

Compartilhe

Deixe um comentário