Cadastro para receber auxílio emergencial começa na terça-feira, diz Onyx
Compartilhe

O ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, afirmou que a partir de terça-feira (07/03) o governo deve disponibilizar um aplicativo, em conjunto com a Caixa Econômica Federal, para que o cidadão possa se cadastrar para receber o auxílio emergencial de R$ 600. Onyx afirmou, ainda, que o objetivo da plataforma é permitir que em até 48 horas os pedidos sejam processados. O anúncio foi feito em entrevista coletiva nesta sexta-feira (03/04).

 

“Não haverá nenhuma taxa e nenhum ônus e vai permitir que, pela web, ou através do celular, as pessoas possam fazer o cadastramento, para permitir que, em 48 horas, aqueles que cumprirem todos os requisitos, terão o recurso creditado pela Caixa, pelo Banco do Brasil e pela rede bancária privada”, afirmou o ministro da Cidadania.

 

O ministro disse que esse aplicativo visa coletar dados de pessoas que não estão no Cadastro Único, contribuintes individuais e o microempreendedor individual. “Se o cidadão já está no cadastro único, se ele fizer um registro, o aplicativo vai confirmar que ele já está na base de dados”, disse.

 

Onyx afirmou que o governo quer tranquilizar os trabalhadores e que há empenho para que o pagamento chegue o quanto antes nas mãos dos brasileiros. “Para os elegíveis, que já estão no Cadastro Único, estamos correndo para, muito provavelmente, na terça ou na quarta a Caixa anunciar um cronograma de pagamentos”, disse. Ele voltou a afirmar que os beneficiários do Bolsa Família devem receber o auxílio emergencial de R$ 600 no dia 16 de abril.

 

O presidente da Caixa, Pedro Guimarães, disse que a instituição está finalizando questões operacionais. “Iremos trabalhar no fim de semana. Na segunda, vamos divulgar detalhes do aplicativo, do site, da central de atendimento telefônico”, disse.

 

Guimarães afirmou que a Caixa não quer nenhum tipo de protagonismo e que vai contar com outros bancos. “Segunda-feira será anunciado o calendário e detalhes operacionais”, disse. Segundo Guimarães, a tecnologia desenvolvida para o aplicativo permitirá que ele seja utilizado por 100 milhões de pessoas.

Fonte: Coluna Carla Araújo/Uol

Compartilhe