Covid-19: anti-inflamatório acelera recuperação de pacientes, diz estudo
Pacientes que sofrem da doença do coronavírus (Covid-19) são tratados em um hospital de campanha, em Santo André-SP
Compartilhe

Medicamento colchicina é amplamente utilizado no tratamento de gota, doença causada pelo aumento de ácido úrico no sangue.

Um estudo clínico realizado pela Universidade de São Paulo (USP) de Ribeirão Preto, no interior do estado, revelou que a colchicina, medicamento utilizado para o tratamento de gota (doença causada pelo aumento de ácido úrico no sangue), pode acelerar a recuperação de pacientes com Covid-19 ao combater a infecção pulmonar causada pelo novo coronavírus. O artigo foi divulgado no dia 12 de agosto em uma plataforma de analises científicas, mas ainda necessita de revisão pelos pares.

“Voluntários tratados com o fármaco ficaram livres da suplementação de oxigênio, em média, três dias antes do que os pacientes que receberam apenas o protocolo terapêutico padrão do hospital. Além disso, puderam voltar para casa mais cedo”, disse o médico Renê Oliveira, que coordenou o estudo no Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP-USP) à agência do Fundação de Apoio à Pesquisa de São Paulo (Fapesp).

O estudo randomizado duplo cego foi realizado entre os dias 1º de abril e 6 de julho. Do total, 35 pessoas foram analisados durante todo o período de internação. Dezoito deles receberam placebo e outros dezessete receberam a colchicina. Pacientes que deram entrada na UTI foram retirados do estudo.

De acordo com a agência, os pesquisadores concluíram que o uso do medicamento apresentou bons resultados em três frentes: diminuiu o tempo em que era necessário apoio respiratório, reduziu o período geral de internação e baixou as taxas de proteína C- reativa no sangue — a molécula é considerada o principal marcador de inflamação sistêmica. O efeito adverso mais comum detectado foi a diarreia. Não houve relato de problemas cardíacos.

Estudos clínicos com um número maior de pacientes devem ser realizados para avaliar em maior escala o uso da colchicina. A análise será aberta, todos os participantes, desta vez, tomarão o fármaco.

FONTE: Veja

Compartilhe