Fotos de Flordelis sem peruca e calva viralizam nas redes sociais
Compartilhe

Não é segredo para ninguém que Flordelis usa perucas desde que ganhou fama após aparecer em programas de TV e se tornar cantora do segmento gospel. Inclusive tem uma coleção delas, que chegam a custar R$ 8 mil e são da mesma marca usada por Beyoncé. Poucas pessoas viram a pastora e deputada federal sem as madeixas. Até este fim de semana.

É que duas fotos de Flordelis foram publicadas nas redes sociais enquanto fazia o procedimento de troca de uma front lace, nome das perucas que usa. No registro, ela aparece quase careca, com várias partes do couro cabeludo aparecendo. A identificação de Flordelis com as perucas é tão grande, que em eventos do seu ministério eram comuns fornecedores montarem estandes com a venda de modelos como os da pastora.

Advogado pede cassação de mandato

O advogado Ângelo Máximo, que trabalha para a família do pastor Anderson do Carmo, assassinado por tiros dentro de casa em junho do ano passado, como assistente de acusação, encaminhou uma petição, no último dia 27 de agosto, ao presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, solicitando o afastamento da deputada federal Flordelis, acusada de ter sido a mandante do crime.

“Acreditando nesta casa Legislativa, acredito que Vossa Excelência, na posse de toda a documentação que lhe encaminho, tomará todas as medidas enérgicas e necessárias no sentido de afastar a deputada federal Flordelis dos Santos de Souza do cargo de parlamentar dessa casa Legislativa retirando assim o véu de imunidade parlamentar e permitindo que as investigações sigam o curso normal em momento em que não somente o país como a democracia necessitam de credibilidade”, escreveu o advogado.

Ângelo Máximo também associa na petição as mortes da irmã e da mãe do pastor ao assassinato de Anderson. Michele do Carmo de Souza, de 39 anos, morreu em outubro do ano passado em decorrência de uma leucemia. Já Maria Edna do Carmo, de 65 anos, morreu em abril deste ano em razão de um infarto. Máximo disse que o afastamento da deputada poderá agilizar o processo porque evitará que ela, como parlamentar, atrapalhe as investigações.

FONTE: O GLOBO

Compartilhe