Compartilhe

Um macaco da espécie bugio atacou um menino de um ano de idade que participava de uma festa com a família numa chácara em Ourinhos. O animal mordeu a cabeça e os braços da criança, que ficou internada durante três dias na Santa Casa da cidade. O bicho, que vive solto, teria saltado de uma árvore para fazer o ataque.

O incidente aconteceu na terça-feira, 25, dia de Natal, mas só foi divulgado na sexta-feira, 28, depois que o menino recebeu alta do hospital. Segundo o pai do garoto Artur Miguel, o borracheiro Deivison Jamil da Silva, a família já estava de saída quando o macaco apareceu “do nada” para morder e arranhar a criança. Segundo ele, o macaco foi afastado com um chute desferido por um cunhado que os acompanhava.

Na Santa Casa de Ourinhos, Artur foi medicado e vacinado e recebeu 20 pontos de sutura devido aos cortes na cabeça e nos braços, causados pelas mordidas e pelas unhas do macaco.

A Polícia Ambiental esteve na chácara, mas não capturou o macaco que não vive em cativeiro, embora seja alimentado pelo dono e funcionários de uma madeireira vizinha à propriedade. Moradores da região foram orientados a não fornecer alimentação aos animais para evitar a presença de macacos nas proximidades das moradias.

O macaco da espécie bugio vive em bandos de até oito indivíduos, dependendo da área, e se alimenta de folhas e frutas. Quando adulto, o bugio pode chegar a 70 cm de altura e até oito quilos de peso. Eles ficam agressivos quando sentem que o território que habitam está sendo invadido.

Macacos da mesma espécie habitam matas da região do Vale Paranapanema e alguns já foram vistos do Horto Florestal Municipal de Palmital, que serve de habitação para alguns bandos de macaco prego.

Compartilhe

Deixe uma resposta