Ministério Publico do Paraná determina a volta do fechamento do comércio de Cambará
Compartilhe

O Ministério Público de Cambará, através do titular do órgão, promotor de justiça Marcel Alexandre Coelho, notificou na noite de quarta-feira (08/04) a Prefeitura de Cambará para que revogue o Decreto nº. 2.461, de 3 de abril de 2020. A medida permitiu a volta do comércio varejista e atacadista do município. A promotoria também pede que o prefeito José Salim Haggi Neto edite um novo decreto que retome as restrições à atividade das lojas, mantendo apenas os estabelecimentos e serviços essenciais até 20 o dia de abril.

 

Dentre as várias motivações para a recomendação do Ministério Público, escreveu: “que se constatou, nesses dias com o comércio aberto, uma movimentação bem maior de pessoas, intensa mesmo, inclusive de pessoas idosas e crianças, em que pese a existência de orientação para que, somente em caso de necessidade, houvesse a circulação de pessoas, dado que a regra deve ser o isolamento social, conforme vem sendo amplamente noticiado nos meios de comunicação e mídia”;

 

“Que também se observou que, com o comércio aberto, houve um afrouxamento por parte das pessoas com o tema, passando-se a impressão de uma normalidade, quando isso não é correto, pois o novo coronavírus (Covid-19) é grave, contudo, há a impressão ou mesmo a certeza para alguns menos informados de que, de forma alguma, o problema não chegará a Cambará, o que, infelizmente, não corresponde à realidade”;

 

“que a gravidade do tema é inquestionável, tanto que dia a dia temos visto a quantidade de mortos e contaminados no Brasil, os quais, por sinal, só têm aumentado”;

 

“que lamentavelmente, foi observada a falta de conscientização da maioria das pessoas na utilização do comércio local, o que, por certo, faz com que, embora com todas as cautelas tomadas pelo Poder Público Municipal e até pelos comerciantes, haja um risco muito grande à população com o contágio do novo coronavírus (Covid-19)”;

 

“que a ausência de compreensão da maior parte das pessoas a respeito do assunto faz com que deva ser revista a decisão de reabertura do comércio, na forma atual”.

 

Em relação ao comércio essencial, escreveu o promotor: “aqueles que irão funcionar, os mesmos sejam obrigados além das medidas sanitárias de higiene, a estipular horários definidos para idosos e, ainda, busquem evitar a entrada de mais de uma pessoa da família para atendimento nas compras, bem como, nas filas, seja observada uma distância mínima de 2 metros entre as pessoas”.

 

O prazo para que a Prefeitura de Cambará cumpra com a recomendação de revogar ao Decreto que reabriu o comércio é de não superior a 24 horas. Portanto, lojas e empresas de serviços não essenciais, deverão estar fechadas a partir da noite desta quinta-feira, 9 de abril, permanecendo fechados até 20 de abril.

Fonte: Jornal News

Compartilhe

Deixe uma resposta