Compartilhe

Diante das dificuldades, a esperança da maioria pessoas é que se fosse mais fácil daria mais certo. E, por causa disso, não falta quem procure alguma facilidade, o caminho mais curto, o menor tempo, o mais barato… Engano total! Aliás, ilusão! Ilusão pensar que uma dificuldade pode ser enfrentada com algum tipo de disfarce, por meio de alguma fuga ou por uma medida de contenção. O mal de tudo isso é que a dificuldade ganha uma sobrecarga; fica pior do que antes. Da mesma forma que um tratamento médico mal feito, por exemplo, com antibiótico; fica pior do que antes, porque dá força à infecção.

Tudo por causa do medo! A vida trava por causa do medo; nada dá certo; as coisas não avançam, por causa do medo. O tempo não passa, tudo perde a graça por causa do medo.

A vida não é para os preguiçosos e nem para os covardes, e, sim para os fortes e corajosos. Mas, não se trata de qualquer força e de qualquer coragem. Trata-se da força e da coragem que vem do amor de Cristo que nos impulsiona. Por isso, “Ai dos corações covardes e das mãos preguiçosas, ai do pecador que anda por dois caminhos! Ai do coração preguiçoso que não confia, porque não será protegido! Ai de vocês que perderam a paciência! O que farão vocês quando o Senhor lhes pedir contas?” (Eclo 2,12-15).

Para tudo existe um remédio! É só não querer automedicar-se. A Sagrada Escritura diz: “Não tenha medo; apenas tenha fé!” Você tem medo ou procura disfarçar com reações de autodefesa? Assumir os próprios medos é, seguramente, um ato de coragem porque permite muitas libertações. Quem faz de conta que é forte, não só cria um espaço favorável ao medo mas, o espalha como doença contagiosa. Não tenha medo; apenas tenha fé! Assuma atitudes de enfrentamento, da vida e de todas as suas circunstâncias, ainda que isso lhe custe noites de terrores e dias de tormentos.

Olhos fixos no Senhor, aceite a correção que ele lhe propõe (Hb 12,1-13)

“Deixemos de lado tudo o que nos atrapalha e o pecado que se agarra em nós. Corramos com perseverança na corrida, mantendo os olhos fixos em Jesus. Vocês ainda não resistiram até o derramamento do sangue na luta contra o pecado, e já se esqueceram da exortação que lhes foi dirigida como a filhos”

Não recebemos um Espírito de escravos! (Rm 8,14-18.22-27)

“Todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são filhos de Deus. E vocês não receberam um Espírito de escravos para recair no medo, mas receberam um Espírito de filhos adotivos, por meio do qual clamamos: Abba! Pai!”

Não há porque viver paralisados por medo da morte! (Hb 2,10-18)

“Deus, por quem e para quem todas as coisas existem, queria conduzir para a glória um grande número de filhos. Assim pôde, por sua própria morte, tirar o poder do diabo, que reina por meio da morte. Desse modo, Jesus libertou os homens que ficavam paralisados a vida inteira por medo da morte. Ele não veio para ajudar os anjos, e sim para ajudar a descendência de Abraão”

No amor não existe medo! (1Jo 4,15-21)

“Nós reconhecemos o amor que Deus tem por nós e acreditamos nesse amor. Deus é amor: quem permanece no amor permanece em Deus, e Deus permanece nele. No amor não existe medo; pelo contrário, o amor perfeito lança fora o medo, porque o medo supõe castigo. Por conseguinte, quem sente medo ainda não está realizado no amor.

Esteja sempre pronto a dar a razão de sua esperança (1Pd 3,8-17)

“Reconheçam de coração o Cristo como Senhor, estando sempre prontos a dar a razão de sua esperança a todo aquele que a pede a vocês, mas com bons modos, com respeito e mantendo a consciência limpa.”

Não tenha medo, apenas tenha fé!

Compartilhe