Paciente de Palmital com suspeita de coronavírus é transferida para hospital em Marília
Compartilhe

 

 

A Secretaria de Saúde da Prefeitura de Palmital divulgou na manhã desta sexta-feira (03/04) que a paciente hospitalizada com suspeita de coronavírus foi transferida durante a madrugada para o Hospital das Clínicas de Marília, que é uma das referências para atendimento à doença na região. Este é o segundo casos suspeito notificado para a doença no município. A doente havia sido incialmente atendida na com problemas respiratórios na Santa Casa de Misericórdia, onde foi internada.

 

Em nota conjunta, a Secretaria de Saúde e Santa Casa informaram que estão “monitorando um caso suspeito de covid-19, onde o paciente encontra-se hospitalizado. Trata-se de paciente na faixa etária entre os 70 e 80 anos, portador de doenças de base pré-existentes. No momento encontra-se estável e consciente, fazendo uso de oxigênio por cateter e não houve necessidade de procedimentos invasivos. Como medidas de precauções foram realizados exames, incluindo amostras de secreções e aguarda-se o resultado.”

 

Conforme nova comunicação divulgada pela Prefeitura, na madrugada de ontem, após a notificação do caso suspeito e a realização de exames para coronavírus, a mulher foi levada para o HC de Marília, mas não necessitou ser entubada. O procedimento segue o protocolo adotado para o enfrentamento ao covid-19 no Estado de São Paulo, que determina o encaminhamento dos pacientes com suspeita ou com a doença confirmada para tratamento em hospitais de referência em cada região.

 

O primeiro paciente com suspeita da doença foi notificado na sexta-feira da semana passada (27/03), sendo uma pessoa jovem que apresentou sintomas da doença, que afeta o sistema respiratório, após retornar de uma viagem a São Paulo.  Não houve a realização do exame para comprovar o covid-19, pois o procedimento é realizado apenas em situações de hospitalização. “Ainda é muito a importante o distanciamento social para evitar que o vírus se prolifere. Portanto, se puder, fique em casa”, orienta a administração municipal.

 

O balanço epidemiológico de quinta-feira (02/04), com base em registros de unidades básicas de saúde, mostrou 40 pessoas em monitoramento depois que tiveram contato com pacientes suspeitos ou estavam em localidades de risco quando chegaram à cidade. Outras 13 ocorrências foram descartadas. As pessoas em situação de monitoramento ficam em casa por 14 dias (tempo estimado para incubação do vírus) e, caso não haja nenhum sintoma, estão liberadas.

Compartilhe

Deixe uma resposta