Polícia Civil prende suspeitos de participarem de espancamento de torcedor do Palmeiras
Homem de 31 anos foi agredido com chutes na cabeça
Compartilhe

Vítima das agressões cometidas também por palmeirenses segue internada na UTI do Hospital Regional (HR), em Presidente Prudente, em estado grave.

Três homens suspeitos de participarem do espancamento de um rapaz em Pirapozinho (SP) no último sábado (8), durante a comemoração de torcedores pelo título do Campeonato Paulista conquistado pelo Palmeiras, foram presos na tarde desta terça-feira (11) pela Polícia Civil.

Dois dos suspeitos foram presos em Pirapozinho mesmo, enquanto o outro estava em Tarabai (SP) e acabou detido em Narandiba (SP), para onde havia tentado fugir. Todos foram levados à Delegacia da Polícia Civil para prestarem depoimentos sobre o caso.

A tentativa de homicídio vitimou um homem de 31 anos. A agressão contra o torcedor do Palmeiras aconteceu após a final do Campeonato Paulista, por volta das 21h do último sábado (8). A vítima foi socorrida em estado gravíssimo e levada ao Hospital Regional (HR), em Presidente Prudente (SP), para receber atendimento médico.

Em um vídeo cedido pela Polícia Civil, com imagens de câmera de segurança, é possível ver a vítima correndo, até ser atingida por socos e pontapés na Rua José de Alencar, em frente ao número 60. A via fica próxima ao local onde torcedores comemoravam o 23º título do Palmeiras na competição estadual, em uma praça da Avenida Rui Barbosa.

Homem de 31 anos foi agredido com chutes na cabeça

Homem de 31 anos foi agredido com chutes na cabeça

De acordo com o delegado de Pirapozinho, Rafael Galvão, que é o responsável pelas investigações, a vítima levou 12 chutes na cabeça.

Em princípio, Galvão disse que a vítima foi agredida por três palmeirenses, o que não caracteriza uma briga entre torcidas. “O que dá pra perceber é que ele [a vítima] estava alcoolizado”, afirmou.

Após a agressão, o celular dele foi levado.

O delegado falou ainda que, provavelmente, ocorreu algum desentendimento entre os agressores e a vítima, que saiu correndo do local da comemoração, segundo testemunhas.

O homem de 31 anos, que trabalha em um frigorífico, sofreu traumatismo craniano. Após as agressões, ele foi levado desacordado para o HR, em Presidente Prudente, onde permanece internado.

O caso foi registrado como tentativa de homicídio qualificado (por não haver meios de a vítima se defender e por motivo torpe ou fútil).

Na tarde desta terça-feira (11), o HR informou que o paciente permanece internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI), “recebendo os cuidados da equipe médica e multiprofissional”. “Neste momento, seu estado de saúde permanece sendo considerado grave, porém, estável”, pontuou.

FONTE: G1

Compartilhe