• Post category:Editorial
Compartilhe

“…será impresso em papel de boa qualidade, com capa dura e em edição de luxo…” 

 

Para comemorar o centenário de Palmital, cuja data oficial será 21 de abril de 2020, uma vez que a instalação do Município de Palmital com autonomia política e administrativa se deu em 21 de abril de 1920, o JORNAL DA COMARCA criou o Projeto Centenário, que inicialmente prevê duas iniciativas de grande vulto para marcar a data histórica. O primeiro projeto, a produção do Livro do Centenário, já está em andamento, com muito material catalogado do próprio JC e de jornais do passado, incluindo um exemplar de 1920 intitulado “O Palmital”, entre outros dos anos 30, 40, 50, até os atuais.

Também servem de referência publicações importantes dos anos de 1930 e outros documentos do século passado que estão sendo recolhidos para análise e contextualização histórica, além de um capítulo inteiro dedicado às grandes reportagens dos principais acontecimentos havidos nos últimos 100 anos de vida autônoma de Palmital. Para ilustrar fatos e acontecimentos, registrados ou não, serão feitas entrevistas com pessoas do povo e as representativas do meio social, econômico e político que vivenciaram ou contribuíram para com nossa história, pois consideramos os testemunhos pessoais como essenciais.

Já em estágio adiantado de produção, o Livro do Centenário, que será impresso em papel de alta qualidade, com capa dura e em edição de luxo, como devem ser produzidos os documentos de comemorações especiais, não prevê qualquer financiamento do município, mas sim de patrocinadores e das famílias dos pioneiros que terão suas histórias retratadas em páginas intercaladas ao texto principal. Com esse modelo de financiamento direto, será possível remunerar a equipe de pesquisa e os profissionais especializados em tratamento de imagens e de editoração eletrônica, assim como o elevado custo de produção gráfica para esse tipo de material.

A previsão inicial é que o Livro do Centenário, que receberá o título “Palmital Centenária – dos picadões à internet” seja lançado no próximo 21 de abril, possivelmente com a presença de familiares da poetisa Cora Coralina, cuja biografia inclui passagens pela cidade, onde estão sepultados seu marido e uma irmã. Também estamos em contato com o advogado Júlio Silvestre de Lima, neto do autor da ação reivindicatória sobre a Fazenda Palmital. O outro grande evento, ainda em fase de projeto, não será revelado de imediato, mas deverá ser um dos mais importantes da história de Palmital. Contamos com a colaboração de todos.

Compartilhe

Deixe uma resposta