Santa Casa recebe R$ 1,1 milhão para custeio e investimentos
Compartilhe

Grande parte é de emendas de deputado da bancada evangélica; recursos serão destinados à manutenção do hospital e aquisição de um raios-x digital

 

A Santa Casa de Misericórdia de Palmital está recebendo R$ 1,1 milhão de verbas federais e estaduais destinadas a custeio e investimentos. Os recursos foram viabilizados por meio de emendas parlamentares, atendendo pedidos de políticos do município e da diretoria da entidade. O dinheiro extra cobre parte das despesas com a manutenção do hospital, que está sob intervenção da Prefeitura desde fevereiro, e garante a aquisição de um aparelho de raios-x digital

Do governo do Estado, a Santa Casa recebeu verba de R$ 50 mil destinada ao custeio, dividida entre emendas do deputado estadual Ricardo Madalena, a pedido do vereador Marquinho Tortinho, e do deputado estadual Ulysses Tassinari, a pedido do vereador Francisco de Souza.

RAIOS – X – O Ministério da Saúde autorizou R$ 251 mil de emenda do ex-deputado federal Milton Monti, por intermédio do deputado estadual Ricardo Madalena e do vereador Marquinho Tortinho. O recurso será destinado à compra de um aparelho de raios-x digital, cujo projeto já está aprovado pelo governo, que deverá convocar representantes do município e da entidade para assinatura do convênio.

O maior volume de recursos foi viabilizado pelo deputado federal Marco Feliciano, da bancada evangélica, cuja verba de R$ 800 mil foi depositada em 27 de julho na conta do Fundo Municipal de Saúde e será destinada a custeio e manutenção. A transferência do dinheiro do município à Santa Casa foi autorizada por meio de lei aprovada na Câmara na semana passada.

O recurso principal foi viabilizado por intervenção do presidente da Fehosp e da CMN, Edson Rogatti, que solicitou a indicação por meio do empresário João Reinaldo Vicente e do assessor do parlamentar, Wagner Guerra. A interventora administrativa Fabiana Paes disse que os recursos possibilitam a “compra de todos os insumos hospitalares, como medicamentos, material de uso único, produtos de limpeza e lavanderia, gêneros alimentícios e dietas enterais, oxigênio e pagamentos de prestação de serviço médicos aos pacientes do SUS, através de contratos com profissionais”. Segundo ela, o hospital tem sua maior fonte de receita na prestação de serviços ao município e acumula despesa mensal de R$ 700 mil, dos quais aproximadamente R$ 60 mil são referentes a impostos fixos e parcelamentos de tributos renegociados.

 

MAIS R$ 500 MIL PARA INVESTIMENTOS

A interventora Fabiana Paes informou ao JC que a Santa Casa ainda aguarda a liberação de verbas que totalizam R$ 500 mil para o segundo semestre. Os recursos serão disponibilizados pelo governo federal, por meio do Ministério da Saúde, para investir na manutenção do hospital. A expectativa é que o dinheiro seja disponibilizado entre agosto e setembro.

O maior volume é de emendas do deputado federal Sílvio Torres (R$ 300 mil) e do senador Major Olímpio (R$ 100 mil), que atenderam solicitações feitas por Edson Rogatti, a pedido da diretoria da Santa Casa de Palmital. Outros R$ 100 mil foram viabilizados pelo deputado Geninho Zuliani, que atendeu pedido da vereadora Ana Elisa Martins Elias da Silva e do ex-prefeito Reinaldo Custódio da Silva, o Nardão.

Compartilhe

Deixe uma resposta