Técnico de enfermagem é preso suspeito de vender remédios ‘tarja preta’ a mulheres que dopavam idosos
Homem é preso suspeito de vender remédios 'tarja preta' às mulheres presas por doparem idosos
Compartilhe

Mulheres agiam na região de Itapetininga (SP). De acordo com a DIG, as medicações não possuíam nota fiscal ou qualquer anotação que indique a procedência.

Um técnico de enfermagem do Hospital Regional de Sorocaba (SP) foi preso nesta sexta-feira (4), na operação “Melhor Idade”, por suspeita de vender medicamentos controlados para as mulheres detidas por doparem idosos em assaltos na região de Itapetininga (SP).

Conforme a investigação, o funcionário do hospital, de 37 anos, foi detido na casa dele, na Vila Piedade, em Itapetininga (SP), durante cumprimento de mandado de busca.

Na casa dele foi apreendida grande quantidade de medicação “tarja preta” como morfina, Clonazepan, Diazepam, Lorazapan, Tramadol e diversas marcas de antibiótico.

Segundo a Delegacia de Investigações Gerais (DIG), as mulheres davam às vítimas remédios como Clonazepan em uma mistura com refrigerante. As suspeitas, de 24 anos e 44 anos, são investigadas pelos crimes de latrocínio e diversos roubos qualificados.

De acordo com a DIG, as medicações não possuíam nota fiscal ou qualquer anotação que indique a procedência. Os remédios foram apreendidos. A quantidade não havia sido contabilizada.

À Polícia Civil, o suspeito alegou que não se recorda de ter vendido Clonazepan para as mulheres. Ele será autuado pelo crime de Tráfico de Drogas, informou a polícia.

Segundo a Polícia Civil, os medicamentos não possuíam nota fiscal — Foto: Polícia Civil/Divulgação
Segundo a Polícia Civil, os medicamentos não possuíam nota fiscal
Polícia Civil prende homem suspeito de vender remédios controlados à dupla presa por latrocínio — Foto: Polícia Civil/Divulgação
Polícia Civil prende homem suspeito de vender remédios controlados à dupla presa por latrocínio

Idosos dopados

Duas mulheres, de 24 anos e 44 anos, foram presas no dia 13 de agosto suspeitas de assaltarem pelo menos 15 idosos em Itapetininga (SP) e cidades da região. Segundo a Polícia Civil, após a prisão, elas indicaram onde deixaram uma das vítimas que estava sumida havia 20 dias. A polícia foi até o local e encontrou o idoso, de 78 anos, morto.

Ainda de acordo com a polícia, as prisões ocorreram após investigações de três meses. Policiais chegaram até as suspeitas depois de analisarem imagens de câmeras de monitoramento e terem acesso a registros de ligações telefônicas.

Ao serem presas, em Itapetininga, elas confessaram que abordavam idosos nas ruas ou na frente de agências bancárias e ofereciam sexo em troca de dinheiro. Há suspeita de que as duas praticavam os crimes em São Miguel Arcanjo, Sarapuí, Angatuba, Cesário Lange, Itararé, Capão Bonito.

As mulheres tiveram a prisão preventiva decretada e foram encaminhadas para a cadeia de Cesário Lange (SP). Foram aprendidos dois veículos usados nos crimes, celulares e medicações.

Morte de idoso

Questionadas sobre o idoso Erineu da Rosa, de 78 anos e que estava sumido há cerca de 20 dias, elas confessaram que o assaltaram e indicaram onde tinham deixado o idoso.

No local, em um canavial próximo da rodovia Castello Branco, em Cesário Lange, os policiais encontraram o corpo de Erineu já em estado de decomposição.

Erineu da Rosa, de 78 anos, foi encontrado morto em canavial de Cesário Lange (SP) — Foto: Arquivo Pessoal
Erineu da Rosa, de 78 anos, foi encontrado morto em canavial de Cesário Lange (SP)

As mulheres alegaram à polícia que não tinham intenção de causar a morte, mas deram tranquilizante e, em seguida, roubaram R$ 260.

Idoso de 78 anos foi encontrado morto em canavial de Cesário Lange (SP) — Foto: Airton Salles Jr./TV TEM
Idoso de 78 anos foi encontrado morto em canavial de Cesário Lange (SP) 

FONTE: G1

Compartilhe