Golpes de mulheres em idosos tem um morto e prejuízo de R$ 33 mil só de uma vítima
Mulheres de 24 e 44 anos foram presas suspeitas de integrarem quadrilha
Compartilhe

Jovem de 24 anos e a tia, de 44, foram presas em Itapetininga (SP) e confessaram que davam tranquilizantes para idosos durante os crimes.

Uma das vítimas do golpe aplicado por duas mulheres, de 24 e 44 anos, que foram presas suspeitas de doparem idosos em assaltos na região de Itapetininga (SP) teve prejuízo de R$ 33 mil, segundo a Polícia Civil.

Elas foram presas no dia 13 de agosto suspeitas de assaltarem pelo menos 15 idosos. As mulheres, que são sobrinha e tia, confessaram à polícia que aplicavam golpes há nove meses e, em seguida, indicaram onde tinham deixado uma das vítimas que estava sumida havia 20 dias.

Erineu da Rosa, de 78 anos, foi encontrado morto em Cesário Lange(SP). O corpo da vítima estava em estado de decomposição.

“Após a prisão, no dia seguinte apareceu um senhor na delegacia que disse que tomou prejuízo de R$ 33 mil, tirou o valor da poupança e entregou para elas”, conta o delegado da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) de Itapetininga, Agnaldo Ramos.

Na terça-feira (18), um grupo de pelo menos 10 vítimas foi à Polícia Civil de Itapetininga para fazer o reconhecimento das suspeitas.

“As vítimas reconheceram as mulheres, que estão indiciadas em dois roubos. No caso de Cesário Lange representei pela prisão temporária delas por mais 30 dias. Em seguida, vamos concluir o inquérito e encaminhar ao Fórum com o pedido de preventiva”, explica o delegado.

Mulher e sobrinha foram presas suspeitas de assaltarem idosos no interior de SP — Foto: Reprodução/TV TEM
Mulher e sobrinha foram presas suspeitas de assaltarem idosos no interior de SP

De acordo com a Polícia Civil, durante a prisão, as mulheres afirmaram que há aproximadamente nove meses aplicavam golpes em idosos, mas passaram a dar tranquilizantes para as vítimas nos últimos três meses.

Policiais chegaram até as suspeitas após três meses de investigação, depois de analisarem imagens de câmeras de monitoramento e terem acesso aos registros de ligações telefônicas. O material não teve autorização da Justiça para ser divulgado.

Ao serem detidas, em Itapetininga, elas confessaram que estavam indo para outra cidade fazer mais vítimas. Além disso, admitiram que abordavam idosos nas ruas ou na frente de agências bancárias e ofereciam sexo em troca de dinheiro.

“Elas enganam idosos com o objetivo de tirar dinheiro. Quando não conseguem, dão uma dose de tranquilizante, jogam a vítima no matagal, vão ao banco com o cartão e fazem saques”, afirma o delegado.

Segundo as investigações, há relatos de agressões para as vítimas dizerem as senhas dos cartões. O valor aproximado dos golpes pode chegar a R$ 80 mil.

Mais crimes

Ainda de acordo com a polícia, há suspeita de que as duas praticavam os crimes em São Miguel Arcanjo, Sarapuí, Angatuba, Cesário Lange, Itararé, Capão Bonito. As presas foram encaminhadas a cadeia de Cesário Lange.

Outros 15 boletins de ocorrência com relatos de ações parecidas já foram registrados e, para a polícia, trata-se do mesmo grupo.

As mulheres tiveram a prisão preventiva decretada e serão encaminhadas para a cadeia de Cesário Lange (SP). Foram aprendidos dois veículos usados nos crimes, celulares e medicações.

FONTE: G1

Compartilhe