Parafraseando Roberto, eu diria que tenho uma “multidão de amigos”. A amizade é um dom de Deus. Bons amigos e boas amigas são anjos sem asas. Não são do bem os que profanam este sentimento. Um dia destes recebi um e-mail de uma colega de quem há muito tempo eu não tinha notícias. Ela deve ter lido alguma coisa que eu escrevi que possivelmente lhe tocou o coração. Não me cabe avaliar o que seja. Imagino que na ocasião sua sensibilidade estivesse mais acentuada, só isso. Nada a ver com as mal traçadas deste escriba sem brilho.

A propósito da amizade. Estava ouvindo o rádio no carro e um quadro do Dr. Drauzio Varellla me chamou a atenção. Ele falava sobre o “Isolamento Social”. Disse que muitas vezes a pessoa, mesmo rodeada de outras pessoas, sente uma profunda solidão. E que isso não depende necessariamente de quantas pessoas você tem ao seu lado. Mas quais. Lembrei-me dos meus eternos amigos, minhas inesquecíveis amigas. Mesmo distantes, sempre estiveram bem perto de mim. Sinto saudades do tempo em que dividíamos nossas angústias, realizações e nossos sonhos. Crescemos juntos, aprendemos juntos e até trabalhamos juntos. Nenhuma distância vai apagar isso. E esse sentimento vale para quem realmente se fez presente em nossa vida. Com certeza, eles sabem que estamos falando deles ou delas. Não há como mencionar nomes para não omitir outros.

Uma vez eu disse que os verdadeiros amigos são como as estrelas. Muitas vezes não as vemos, mas sabemos que estão ali. Nuvens passageiras as escondem, mas logo elas voltam a brilhar diante de nossos olhos. Assim são nossos amigos, nossas amigas, mesmo distantes. Mesmo ausentes, não imaginam que nunca foram esquecidos.

Hoje com a facilidade dos meios de comunicação, em questão de segundos contatamos alguém. Por obvio que há pessoas mais especiais com quem partilhamos o mesmo ideal. Com esta evocação à amizade, pelos meios de comunicação de que disponho, continuo colocando-os a serviço do bem, da paz e da Justiça.

Entendo que o formador de opinião tem um grande desafio pela frente. Fazer amigos e cultivar a paz, a fim de combater os que profanam a amizade e vivem a instilar o ódio e a inveja.

Leia também no JC Online

Compartilhe

Deixe uma resposta

Fechar Menu
Não Permitido Cópia