• Post category:Editorial
Compartilhe

“…a circulação de veículos de carga e de passageiros ainda por estradas em terra é sinônimo do atraso…”

 

Desde os primórdios da civilização que a facilidade de transporte é sinônimo de desenvolvimento, pois permite a integração entre os povos, facilita o intercâmbio cultural e de conhecimento e, principalmente, as relações comerciais como meio de promoção da riqueza. Assim como os países que mais investiram em transporte, seja terrestre por rodovias e ferrovias, fluvial, marítimo ou aéreo, foram os que mais se desenvolveram de forma rápida e equilibrada, nas cidades e nas regiões o fenômeno se repete, pois quanto mais facilidade de locomoção entre os aglomerados urbanos, maior é a facilidade e a possibilidade de novos investimentos.

Como segunda região menos desenvolvida do Estado de São Paulo, o Vale do Paranapanema sobre as consequências da distância acentuada dos grandes centros e da ausência de transporte eficiente e seguro durante muito tempo. A duplicação da principal rodovia de acesso a São Paulo só aconteceu há cerca de 10 anos, após a ligação com a rodovia Castelo Branco, o que está proporcionando novos investimentos industriais, comerciais, de prestação de serviços e tecnológicos em várias cidades. Contudo, o fim do transporte ferroviário causa perda de investimentos e faz aumentar o custo dos fretes.

Considerando que o transporte de longa distância é essencial para que haja investimentos e que a região seja considerada estratégica, os meios de locomoção entre as cidades também são fundamentais para a integração e o desenvolvimento econômico e social. No caso do Vale do Paranapanema, o transporte serve muito para escoamento da produção agrícola, a principal riqueza e fonte de emprego e renda de grande parte da população. Afinal, a circulação de veículos de carga e de passageiros ainda por estradas em terra é sinônimo do atraso muito difícil de recuperar em curto prazo.

Considerando a importâncias das ferrovias que desapareceram, e das rodovias asfaltadas, incluindo as vicinais, que são poucas, é muito importante que haja sintonia entre as cidades para possibilitar investimentos em ligações alternativas entre os centros urbanos. Esse trabalho pode e deve ser atribuído ao Consórcio de Municípios da região e também fazer parte da agenda de prefeitos de cidades vizinhas no sentido de reivindicar o asfaltamento de vias de ligação em conjunto. Um simples asfalto entre Palmital e Campos Novos Paulista, por exemplo, além de atender as duas cidades, pode facilitar a vida e o trabalho de milhares de agricultores. 

Compartilhe

Deixe uma resposta